22/05/2024

Emanuel vai encaminhar novo projeto criando a SEC 300

Legislação que criou a Secretaria está sendo questionada no Tribunal de Contas do Estado

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) afirmou, na manhã desta terça-feira (5), que reencaminhará, para a Câmara Municipal, um novo Projeto de Lei sobre a criação da Secretaria de 300 anos.

De acordo com o prefeito, um novo texto será encaminhado ao Legislativo Municipal.

“Tivemos um debate muito grande em relação à matéria, principalmente após sua tramitação e aprovação na Câmara Municipal [em 18 de julho]. Vimos a necessidade [de recriar a Pasta], e eu fui o primeiro a reconhecer isso”, disse.

Vimos a necessidade [de recriar a pasta], e eu fui o primeiro a reconhecer isso

“Em nome da transparência e da clareza das ações da nossa gestão, estamos aperfeiçoando o texto do Projeto de Lei, reenviando para a Câmara. Estamos buscando esse aperfeiçoamento, cada vez mais bem consolidado com a Lei de Responsabilidade Fiscal e as demais legislações vigentes”, acrescentou.

Pinheiro assegurou que a criação da SEC 300 não trará prejuízo às contas públicas da Capital.

“A SEC 300 foi criada exatamente para fazer a função de articulação, junto às demais secretarias, às outras instâncias de poderes e instituições e, inclusive, também, junto a segmentos realizados pela sociedade, para que ela faça essa articulação com foco nas ações, projetos, obras e eventos para a Cuiabá dos 300 anos”, declarou.

Conforme o peemedebista, os gastos com a secretaria serão relacionados estritamente com os pagamentos de servidores.

“É uma Pasta criada com uma estrutura orçamentária enxuta e diz respeito apenas a pessoal. É uma estrutura bem pequena, que vai fazer esse papel de articulação, usando o orçamento de outras pastas, dentro da estrutura orçamentária da Prefeitura de Cuiabá”, comentou.

Representação

O vereador Marcelo Bussiki (PSB), presidente da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, chegou a protocolar um requerimento no TCE apontando as irregularidades na Pasta.

Ele apontou que o projeto não comprovou que as despesas criadas pela secretaria não afetariam as metas fiscais da Capital, nem o plano de compensação que garante o pagamento das despesas continuadas.

Ainda na representação, ele argumentou ainda que o projeto sobre a criação da Pasta não detalhou os projetos que seriam executados. Também estariam ausentes itens como a estimativa de impacto orçamentário e a origem dos recursos, conforme prevê a lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Fonte: http://www.midianews.com.br

Similar Articles

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Advertisment
DP TESTE

Powered by WP Bannerize

Recentes

Advertisment
DP TESTE

Powered by WP Bannerize