Estudo realizado pela MCM Consultores calculou a média e o desvio padrão das votações dos candidatos à presidência pelo PT, PSDB e demais partidos

Levantamento histórico do comportamento dos eleitores nas últimas 6 eleições presidenciais revela que Mato Grosso é o Estado mais tucano do país, com uma média de votação no PSDB de 51,77%.  Por outro lado, para o Governo apenas um candidato conquistou a vitória pelo partido e quando buscava a reeleição, sendo ele Dante de Oliveira.

O estudo, realizado pela MCM Consultores, calculou a média e o desvio padrão das votações dos candidatos à presidência pelo PT, PSDB e demais partidos, nas disputas de 1994 a 2014.

Dos 6 pleitos, apenas em 2002 o candidato tucano não foi o mais votado no Estado. Naquele ano, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi eleito presidente, conquistou mais votos dos mato-grossenses que José Serra (PSDB), tanto no 1º quanto no 2º turno.

Em 1994 e 1998, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), eleito e reeleito, foi o mais votado no Estado. Ele conquistou 64,29% dos votos no primeiro pleito, contra os 19,10% de Lula e 73,10% no segundo, contra 16,46% do candidato petista.

Em 2006, Lula foi reeleito presidente. Em Mato Grosso, por sua vez, Geraldo Alckmin (PSDB) foi mais votado em ambos os turnos, com 54,82% e 50,31% dos votos contra 38,65% e 49,69% de Lula, respectivamente.

Em 2010, disputando com Dilma Rousseff (PT), que foi eleita, José Serra foi o candidato mais votado pelos mato-grossenses, embora tenha perdido em 2002. No 1º turno, ele obteve 44,16% dos votos e no 2º, 51,11%. Dilma conquistou 42,94% e 48,89%, respectivamente.

Por fim, em 2014, Aécio Neves (PSDB) foi o mais votado em Mato Grosso, mas perdeu para Dilma, reeleita. No 1º turno ele obteve 44,47% dos votos e a petista, 39,53%, e no 2º turno, o tucano conquistou 54,67% dos votos e ela, 45,33%.

Governo

Embora quando se trate de eleições presidenciais o comportamento do eleitorado mato-grossense seja predominantemente tucano, em pleitos estaduais a votação não segue uma linha partidária.

Em 94, Dante Martins foi eleito governador com 71,21% dos votos. Na época ele ainda estava filiado ao PDT. Em 98, já no PSDB, foi reeleito com 53,95% dos votos. Naquele ano, o PT disputou o Executivo Estadual com o ex-deputado federal Carlo Abicalil, que amargou a terceira colocação, com 7,38% dos votos.

Em 2002, com ex-senador Antero Paes de Barros disputando o Governo pelo PSDB e o ex-deputado estadual Alexandre César pelo PT, quem saiu vitorioso, com 50,69% dos votos, foi o hoje ministro Blairo Maggi (PP), então filiado ao PPS. Antero ficou em segundo, com 29,47% dos votos, e Alexandre César em terceiro, com 18,62%.

Blairo foi reeleito em 2006 com 65,39% dos votos. Antero ficou novamente em segundo, com 19,83% e o PT, que desta vez disputava o cargo com a ex-senadora Serys Slhessarenko, outra vez em terceiro, com 11,32%. Naquele ano, Silval Barbosa, na época no PMDB, disputou vice-governador e 2 anos acabou assumindo o Executivo estadual, quando Blairo renunciou ao cargo para disputar o Senado.

Em 2010, Silval Barbosa – ainda no PMDB, foi reeleito com apoio do PT. Ele obteve 51,21% dos votos e o, hoje deputado estadual, Wilson Santos (PSDB), conquistou apenas 16,55% dos votos.

Já em 2014, Pedro Taques foi eleito governador de Mato Grosso pelo PDT, com 57,25% e Lúdio Cabral (PT), obteve 32,45% dos votos. Naquele ano, Taques contou com o apoio do PSDB, partido ao qual hoje é filiado e pelo qual possivelmente disputara a reeleição.

 

Fonte: https://www.olivre.com.br