15/06/2024

Entre 27 capitais, Cuiabá está em 22º lugar no ranking de saneamento básico

O levantamento da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) apresenta o ranking de saneamento básico dos municípios de 2018

Cuiabá é a 22ª colocada no ranking de desempenho das Capitais do país rumo à universalização dos serviços de saneamento básico. Segundo levantamento da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), embora o abastecimento de água da Capital mato-grossense já atinja 98,13% da população, apenas 1,65% dos resíduos sólidos coletados tem uma destinação adequada.

O estudo levou em consideração ainda os índices de coleta e tratamento de esgoto, que em Cuiabá são de 51,39% e 38,63% respectivamente, e a coleta de resíduos sólidos, que assim como a água, chega a 98,13%. Somados os cinco quesitos analisados, a Capital mato-grossense perfaz uma pontuação de 287,93, ficando à frente apenas de Rio Branco (AC), Belém (PA), Macapá (AP), Teresina (PI) e Porto Velho (RO).

O Ranking Abes de Saneamento Básico de 2018 também analisou a taxa de internação por Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental (DRSA), que em Cuiabá é de 27,33%. Entre essas doenças estão cólera, infecções por salmonela, doenças intestinais causadas por protozoários, diarreia e gastroenterite.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) aponta que 88% das mortes por diarreia, que é a segunda maior causa de óbitos em crianças menores de 5 anos, são causadas pela falta de higiene e saneamento adequado. Diagnóstico da Organização Mundial da Saúde traz dados semelhantes, mostrando que 94% dos casos de diarreia no Mundo são devidos à falta de acesso à água de qualidade e ao saneamento precário.

O levantamento analisou dados fornecidos ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS) por 1.894 municípios do país, que foram divididos em grande porte (com mais de 100 mil habitantes) e pequeno e médio porte (até 100 mil habitantes). Além das Capitais, o ranking traz quatro categorias, sendo elas rumo à universalização, compromisso com à universalização, empenho com à universalização e primeiros passos para a universalização.

Municípios de grande porte

De Mato Grosso, entre as cidades de grande porte aparecem Cuiabá, Rondonópolis e Sinop, as três na categoria empenho com à universalização, cuja pontuação média foi de 358,27 pontos.

Conforme o estudo, Rondonópolis já universalizou o abastamento de água e possui índice de coleta e tratamento de esgoto de 72,72% e 50,39%, respectivamente. A coleta de resíduos sólidos também é de 100%, no entanto, apenas 0,44% tem uma destinação adequada, o que baixa a pontuação total do município para 323,54. A taxa de internação por DRSA é de 36,09%.

A população de Sinop também é 100% atendida pelo abastecimento de água. Os índices de coleta e tratamento de esgoto são de 19,26% e 23,24%. A coleta de resíduos sólidos é de 82,89% e não há percentual de destinação adequada. A pontuação total da cidade é de 225,39 e a taxa de internação por Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental é de 20,31%.

Municípios de médio e pequeno porte

Na categoria “empenho para a universalização” surgem 13 municípios do Estado, sendo com as três melhores pontuações, cuja média foi de 320 pontos, foram de Barra do Garças, Primavera do Leste e Colíder.

Barra do Garças apresenta um índice de 100% da população atendida pelo abastecimento de água, 66, 23% pela coleta de esgoto, 76,79% pelo tratamento de esgoto e 97,09% pela coleta de resíduos sólidos, cuja destinação é 100% adequada. A taxa de internação por doenças relacionadas ao saneamento é de 18,74%. A pontuação total da cidade é de 440,11.

Primavera do Leste também já universalizou o abastecimento de água e possui índice de coleta e tratamento de esgoto superiores ao de Barra do Garças, 76,53% e 99,41%, respectivamente. A coleta de resíduos sólidos, por sua vez, é de 94,63% e não há destinação adequada, o que baixa a pontuação total do município para 370,57. A taxa de internação por DRSA é de 30,84%.

Em terceiro lugar entre os municípios de pequeno e médio porte do Estado surge Colíder. O abastecimento de água chega a 81,30% da população, a coleta de esgoto a 42,31% e o tratamento de esgoto a 64,99%. A coleta de resíduos sólidos é de 81,30% e a destinação é 100% adequada. O total é de 369,90. A taxa de internação, entretanto, é de 115,19%.

As demais cidades que aparecem na categoria são  Barra do Bugres, Cláudia, Colíder, Confresa, Diamantino, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Ribeirãozinho, São José dos Quatro Marcos e Tangará da Serra. Já na categoria municípios que deram os “primeiros passos para a universalização”, surgem Água Boa, Alto Araguaia, Aripuanã, Juína, Mirassol D´Oeste e Porto Esperidião.

Nenhuma cidade do Estado aparece nas categorias “rumo à universalização”, cuja pontuação média foi de 494,35 pontos, e “compromisso com a universalização”, com média de 468,52 pontos.

 

Fonte: https://www.olivre.com.br/entre-27-capitais-cuiaba-esta-em-22o-lugar-no-ranking-de-saneamento-basico/

Similar Articles

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Advertisment
VOTO CONSCIENTE

Powered by WP Bannerize

Recentes

Advertisment
VOTO CONSCIENTE

Powered by WP Bannerize