18/06/2024

Juiz do TRE dá 24h para Taques apagar publicações no Facebook

Ação do pré-candidato Wellington Fagundes diz que governador usou propaganda institucional

O juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), deu prazo de 24 horas para o governador Pedro Taques (PSDB) retirar do ar quatro publicações de sua página no Facebook, sob pena de multa diária de R$ 15 mil.

A ação foi proposta pelo Partido da República (PR), do pré-candidato ao Governo, senador Wellington Fagundes.

De acordo com a assessoria jurídica do senador, Taques usou, inadvertidamente, em sua página oficial publicidade institucional dentro do período vedado.

A primeira matéria, publicada em 05 de julho de 2018, diz respeito à entrega de títulos definitivos aos moradores do bairro CPA; a segunda, publicada em 04 de julho de 2018, diz respeito à reforma do “Ganha Tempo”; a terceira, publicada também em 04 de julho de 2018, é o depoimento de uma pessoa a respeito da Caravana da Transformação; e a quarta, publicada em 30 de junho, é sobre a reabertura do Complexo Turístico da Salgadeira.

O representado para dar ares de legalidade, retirou a propaganda do site do Governo, mas manteve-a em sua página oficial

“[…] O representado para dar ares de legalidade, retirou a propaganda do site do Governo, mas manteve-a em sua página oficial, incidindo assim, tal conduta na lei das eleições”, disse o PR em trecho da ação.

“Afirma que as propagandas apontadas não deixam dúvidas de que são institucionais, eis que contêm símbolos do governo e são realizadas por profissionais custeados com erário público, e que estariam vedadas em lei”, afirmou.

Os advogados do PR dizem que as matérias contêm “cunho eleitoral apelativo” e trariam desproporcionalidade ao pleito deste ano.

“Afirma que, até o presente momento somente uma das matérias teve mais de 2,9 mil visualizações. Por outro lado, a página oficial do representado, conta com mais de 160 mil curtidas. Tais fatos reforçam o perigo da demora a fim de justificar a concessão da liminar”.

Em sua decisão, Bortolussi afirmou que mesmo as matérias tendo sido disponibilizadas em rede social antes do período proibitivo da propaganda institucional, elas permanecem, até o presente momento, disponíveis para o acesso.

“Dessa forma, portanto, verifico que não se trata de propaganda acobertada por uma das ressalvas legais, sendo que a sua manutenção na rede social poderá causar considerável risco de desequilíbrio na disputa eleitoral”, afirmou.

Além de dar 24 horas para Taques apagar as publicações, o juiz deu prazo de cinco dias para o tucano responder à ação.

 

Fonte: http://www.midianews.com.br

Similar Articles

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Advertisment
VOTO CONSCIENTE

Powered by WP Bannerize

Recentes

Advertisment
VOTO CONSCIENTE

Powered by WP Bannerize