18/07/2024

Prédio histórico não resiste à chuva e desaba no Centro de Cuiabá

(Por: Bianca Fujimori)

O casarão do final do século XIX que deu origem à primeira gráfica e papelaria de Cuiabá, conhecida como Gráfica Pêpe, na Rua Sete de Setembro, desabou na manhã desta terça-feira (29).

Parte do telhado e da fachada não resistiu à força da chuva e foi ao chão na primeiras horas da manhã de hoje.

Segundo informações obtidas pela reportagem, uma viatura da Polícia Militar estava chegando na base, ao lado do imóvel, quando a fachada caiu, quase atingido o veículo.

Apesar do susto, ninguém se feriu.

Conforme a Secretaria de de Cultura, Esporte e Turismo, a queda do casarão atingiu fios de eletricidade e deixou a região sem energia.

Em março do ano passado, a reportagem do MidiaNews denunciou o abandono e o risco de desabamento do imóvel, que é considerado um dos mais importantes da história de Cuiabá.

Na época, a reportagem esteve no local e constatou que parte do telhado do imóvel já tinha caído.

Do lado de dentro, algumas das paredes também não existiam mais. Nas que sobraram, as imensas rachaduras indicavam que a casa poderia ir ao chão a qualquer momento. Enquanto sua fachada dava a impressão de que iria desabar na cabeça de quem passasse na frente.

Em seu interior, a reportagem ainda conseguiu ver, por meio uma fresta, que existiam alguns armários e diversos entulhos.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e está no local realizando os devidos procedimentos.

Anos de história

O casarão chegou a pertencer ao então governador Generoso Ponce e, posteriormente, foi adquirido pelo coronel da Guarda Nacional, Avelino de Siqueira.

Após sua morte, em 1916, a esposa Maria Luiza Hugueney de Siqueira abriu a primeira gráfica de Cuiabá, que passou a se chamar Livraria Pêpe.

Moradores da região chegaram a frequentar o comércio há 50 anos. Eles relataram que o local era muito movimentado e podia se encontrar desde livros até convites de casamento.

O imóvel foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1980, segundo o historiador Aníbal Alencastro.

Problemas identificados 

Por meio de nota, a Prefeitura informou que já havia identificado os problemas estruturais no casarão, no entanto tomou medidas para proteger apenas o Museu de Imagem e Som de Cuiabá (Misc), que fica ao lado do imóvel.

O órgão público também informou que um engenheiro da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo está no local e acompanha o ocorrido.

Além disso, o prefeito Emanuel Pinheiro lamentou o desastre no Centro Histórico.

Leia a nota na íntegra:

A Prefeitura de Cuiabá informa que o desabamento de uma residência ao lado do Museu de Imagem do Som de Cuiabá (Misc) não oferece nenhum risco à estrutura do casarão. Isso porque a empresa responsável por sua reforma, concluída em 2018, já havia identificado problemas estruturais no imóvel vizinho, tomando todas as medidas necessárias para preservar o Museu. 

Diante do ocorrido, contudo, um engenheiro da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, foi enviado ao local para monitorar a situação.  De acordo com o titular da Pasta, Francisco Vuolo, a queda da casa atingiu fios de eletricidade, causando falta de energia em toda a rua. Este, portanto, é o único impacto sofrido pelo Museu em decorrência do acidente. 

O Prefeito Emanuel Pinheiro lamenta o desabamento, classificado por ele como uma perda para história de Cuiabá, que completa 300 anos no próximo mês de abril. “Embora seja motivo de tristeza o que aconteceu com a edificação, agradecemos que nenhuma pessoa estivesse dentro da casa ou tenha sido atingida pelos escombros”, disse. 

Vuolo explica ainda que a ocorrência deverá ser acompanhada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Fonte: www.midianews.com.br

Similar Articles

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Advertisment

Powered by WP Bannerize

Recentes

Advertisment

Powered by WP Bannerize