‘Pode ter dinheiro para comprar um hospital, mas não tem vaga de UTI’, dispara Gilberto

O secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo alertou, mais uma vez, a população acerca do colapso na saúde pública e privada de Mato Grosso. Segundo o gestor, neste momento não importa se a pessoa tem ou não dinheiro: “Nesse momento não tem rico, não tem pobre. Tem os abastados que podem ter dinheiro para comprar um hospital, mas não tem uma vaga de UTI para ele”, disparou em entrevista na última sexta-feira (19).

Mato Grosso enfrenta altas na ocupação de leitos de UTI e também de enfermaria há mais de vinte dias. Desde então, o Governo do Estado instaurou medidas restritivas como o toque de recolher e o fechamento do comércio às 19 horas de segunda a sexta-feira e antes nos finais de semana.

O gestor ainda criticou quem acha que algumas regiões do estado poderiam ter as medidas mais flexíveis por estarem com taxas de infecção mais baixas, e pediu para que a população respeite as determinações do Estado.

“Evitar aglomeração, adie suas comemorações com grandes grupos, aproveite para conviver e desfrutar do ambiente familiar, evite circulação desnecessária, use máscara, vamos tentar segurar um pouco essa nossa ansiedade para que a gente consiga conter essa disseminação do vírus. Essa média de óbitos dos últimos dias não agrada, é triste para todo mundo, então a gente precisa contribuir e a população precisa fazer parte disso”, finalizou.

 

 

 

Fonte: https://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=484434&noticia=pode-ter-dinheiro-para-comprar-um-hospital-mas-nao-tem-vaga-de-uti-dispara-gilberto&edicao=1