image

A mãe da adolescente Isabele Ramos, morta aos 14 anos com um tiro no rosto disparado pela melhor amiga, no condomínio de luxo Alphaville, em Cuiabá, em 12 julho de 2020, criticou a decisão da Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que na noite de ontem (8), determinou a soltura da atiradora, que hoje tem 16 anos.

Em publicação na rede social, Patrícia Guimarães Ramos disse que ficou surpresa com a decisão. A defesa da adolescente conseguiu reverter a decisão da condenação. Ao invés de homicídio doloso, a Justiça considerou que o crime passou a ser homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar. “Estou indignada, surpresa, aflita. Minha filha não foi morta com uma arma de gatilho simples, mas uma arma que teve que ser municiada, alimentada e carregada. A atiradora era perita nisso, Foi morta sem qualquer chance de defesa!!”, afirma a empresária.

A atiradora foi internada em 19 de janeiro de 2021 no Lar Menina Moça, que fica no Complexo Pomeri, em Cuiabá, para cumprimento de pena de 3 anos de internação por ato infracional análogo ao crime de homicídio doloso, quando há intenção de matar. “Desqualificar esse crime de doloso para culposo é inconcebível!! Não vou me calar diante do tamanho absurdo!!”, finalizou Patrícia

Isabele Ramos morreu com um tiro no rosto dentro de um banheiro na casa da amiga. Laudo pericial oficial indicou que a arma, uma pistola calibre 380 -, estava apontada para o rosto da vítima, a uma distância que pode variar entre 20 e 30 cm, e a 1,44 m de altura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: https://www.mtdefato.com.br/cuiaba/nao-vou-me-calar-diante-do-tamanho-absurdo-diz-mae-de-isabele-apos-soltura-de-atiradora/109142