A informação foi confirmada pela secretária Municipal de Saúde, Cláudia Navarro. A princípio, a determinação vai valer até o dia 31 de julho, com possibilidade de prorrogação. O motivo é o aumento do número de casos de Covid-19 nas últimas semanas.

Uso de máscaras volta a ser obrigatório em locais fechados em Belo Horizonte, como escritórios, escolas e teatros. — Foto: Heloise Hamada/g1

Belo Horizonte irá voltar a ter uso obrigatório de máscaras em locais fechados. De acordo com a secretária Municipal de Saúde, Cláudia Navarro, os protocolos são revistos diariamente e o decreto com a nova determinação será publicado nesta terça-feira (14), quando ela já entra em vigor.

Neste momento entendemos que devemos voltar com a obrigatoriedade do uso de máscara em locais fechados”, disse ela em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (13).

Agora, as máscaras voltam a ser obrigatórias em escolas, shoppings, cinemas e em locais que sempre exigiram seu uso, como ônibus e unidades de saúde:

Estamos falando do transporte coletivo, onde já era obrigatório, vamos manter em todas as instituições de saúde. Shoppings centers, lojas, cinemas, teatros, todo ambiente que não é ao ar livre”

Questionada sobre estádios de futebol, feiras e atividades ao ar livre dentro das escolas, a secretária recomendou aguardar a publicação dos decretos para maiores detalhes.

A decisão acontece um mês e meio depois de o uso obrigatório ter sido suspenso em locais fechados na capital.

Aumento de casos e internações

A princípio, a determinação vai valer até o dia 31 de julho, com possibilidade de prorrogação. O motivo é o aumento do número de casos de Covid-19 nas últimas semanas.

A partir do momento em que nós obrigamos o uso da máscara vamos não só diminuir a transmissão do vírus como também diminuir a transmissão de outras viroses, principalmente nas crianças e nos pacientes acima de 60 anos. Diminuindo as viroses, diminuiremos o total de atendimentos nos nossos serviços de urgência”, disse a secretária.

Segundo Cláudia Navarro, a decisão foi tomada baseada em evidências científicas, de acordo com a incidência de doenças respiratórias, com o crescimento no números de novos casos por 100 mil habitantes e devido à baixa adesão nas vacinas, principalmente para o público infantil. Ela ressaltou, no entanto, que não houve aumento no número de óbitos.

Secretária de Saúde de BH Cláudia Navarro. — Foto: TV Globo

Secretária de Saúde de BH Cláudia Navarro. — Foto: TV Globo

Vacinação abaixo da meta

A secretária de Saúde reforçou a importância da vacinação completa contra a Covid-19, especialmente para as crianças.

Precisamos fazer um trabalho junto aos pais e responsáveis. (…) Que muitas vezes não levam seus filhos pra segunda dose”, afirmou.

De acordo com a prefeitura, 1.729 casos da doença foram notificados nas 219 escolas públicas da capital. São 33 turmas suspensas, segundo o boletim divulgado na sexta-feira (10).