A articulação tem dois objetivos: manter Neri e Fávaro no arco da aliança e convencer Wellington de que ele não perde nada com esse palanque aberto.

page_ neri mendes natasha wellington.jpg

Os partidos da base aliada de Mauro Mendes começaram a discurtir a ideia de palanque aberto para Senado, um movimento eleitoral que só começou a ser articulado depois da descoberta do óbvio: o projeto de reeleição do governador deve funcionar como agregador de apoios e não de rachas.

Os partidos da base aliada do governador Mauro Mendes se reuniram, na noite desta segunda-feira (11.07), para debater a proposta de ter o palanque aberto para o Senado Federal. Estiveram reunidos Carlos Bezerra (MDB), Wellington Fagundes (PL), Max Russi e Natasha Slhessarenko (PSB) e pelo União Brasil o senador Fábio Garcia (presidente), o senador Jayme Campos, o governador Mauro Mendes, Mauro Carvalho, ex-senador Cidinho Santos, entre outros representantes. Duas ausências dignas de registro: a do pré-candidato ao Senado, deputado federal Neri Geller (PP), e a do senador Carlos Fávaro (PSD).

“Estamos dialogando na busca pela construção de um consenso para que seja possível ter um palanque aberto para Senado. Essa é a proposta que foi colocada na mesa. As conversar iniciaram hoje e vamos passar os próximos dias dialogando”, destacou Fábio Garcia.

 

“Em óbvio, Mauro Mendes não tem o que opor à ideia de somar candidatos que peçam voto para ele”

Durante a reunião com os partidos, Fábio Garcia comentou que o governador Mauro Mendes não se opôs a proposta de ter três candidatos ao Senado entre os seus aliados, desde que seja um consenso entre os partidos. Em óbvio, Mauro Mendes não tem o que opor à ideia de somar candidatos que peçam voto para ele.

Na oportunidade, Mauro Mendes reforçou o seu compromisso com o presidente Jair Bolsonaro. “Ele reafirmou o apoio ao presidente Bolsonaro pela construção da sua candidatura à reeleição. E disse que o apoio nunca esteve em discussão. Ele já tem um compromisso com Bolsonaro e irá cumprir”, contou Garcia.

Nos próximos dias, os partidos deverão voltar a se reunião até que seja definido um consenso sobre o melhor caminho a ser seguido pela base aliada ao governo, quanto a vaga ao senado. “Nosso trabalho é para ampliar a base aliada na construção da candidatura à reeleição de Mauro Mendes, pois sabemos que esse é o melhor caminho para Mato Grosso”, ressaltou.

O movimento articulado mira dois objetivos: 1) manter Neri Geller e Carlos Fávaro no arco de aliança da candidatura à reeleição de Mauro Mendes e 2) convencer Wellington Fagundes que ele não perde absolutamente nada em ter ao seu lado, no mesmo palanque do governador, outros dois postulantes ao Senado.

 

 

fonte: https://www.pnbonline.com.br/caldeirao-politico/mauro-mendes-ganha-com-palanque-aberto/85669