Presidente da Casa de Leis da capital, vereador Juca do Guaraná (MDB), confirmou que extraordinária pode ocorrer, em data a ser definida

(Por Robson Morais,agoramt)
Imagem: Paccola Câmara de Cuiabá pode convocar sessão extra para discutir afastamento de Paccola

Foto: Reprodução

O presidente da Câmara de Vereadores da capital do Estado, Cuiabá, Juca do Guaraná (MDB), confirmou à imprensa local a possibilidade de convocação de uma sessão extraordinária para votar o pedido de afastamento do vereador Marcos Paccola (Republicanos), indiciado por homicídio após atirar pelas costas e matar o agente socioeducativo Alexandre Miyagawa, o Japão. O crime ocorreu em meio a uma confusão em uma conveniência, no dia 1 de julho.

Segundo o presidente da Casa de Leis, deverão ser encaminhados à Câmara documentos a respeito do inquérito policial, aos cuidados da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A previsão é na próxima segunda-feira (25). Depois das discussões junto às Comissões, a data da sessão extraordinária poderá ser definida.

Atualmente, o Poder Legislativo de Cuiabá segue em recesso, até o dia 29 de julho.

PELAS COSTAS

Dois dos três tiros disparados pelo vereador Marcos Paccola (Republicanos) contra o agente socioeducativo Alexandre Miyagawa, o Japão, foram disparados pelas costas. É o que aponta o laudo pericial da Politec de Cuiabá. A causa da morte, diz o documento, foi um choque hopovolêmico, ou seja, decorrente da perda excessiva de sangue.

O documento foi finalizado nesta semana. O crime ocorreu no último dia 1, em frente a uma conveniência, na capital do Estado. Dois tiros disparados acertaram a vítima em órgãos vitais, apontou a Politec. Os órgãos lesionados foram o pulmão esquerdo, pulmão direito, diafragma, fígado e coração.

VOTAÇÃO ADIADA

A votação do pedido de afastamento de Paccola (Republicanos) chegou a ser adiada após requerimento apresentado pelo parlamentar Sargento Vidal (Pros). A votação deveria ter ocorrido no último dia 14.

No documento, Vidal pediu que o pedido fosse encaminhado à análise da Comissão de Constituição e Justiça da Casa de Leis, a CCJ. Com isso, mais o recesso parlamentar, a nova previsão de votação é no dia 2 de agosto.

O próprio Paccola votou para que o pedido fosse analisado já nesta quinta-feira e segue afirmando que agiu em legítima defesa.

O CASO

No dia 1 deste mês, o agente socioeducativo Alexandre Miyagawa, de 41 anos, conhecido como Japão, foi morto a tiros pelo vereador após uma confusão em uma conveniência. Os tiros foram dados pelas costas, com mostraram imagens de câmeras de monitoramento da rua em frente ao estabelecimento comercial.

A Câmara dos Vereadores recebeu, no dia 4 deste mês, um pedido de cassação por quebra de decoro do vereador. O pedido foi feito pela vereadora Edna Sampaio (PT).

Em defesa, o vereador Marcos Paccola disse que confia nas investigações da polícia. “Eu fiz aquilo para o qual fui treinado a fazer”, disse o vereador na Câmara. “É triste demais a minha posição. Imagine tirar a vida de um colega de profissão em uma situação que eu realmente não gostaria de estar passando, mas fiz na certeza de ter feito o procedimento da forma correta. Na distância que eu estava, eu não poderia deixar aquilo ali. E a partir do momento em que eu decidi intervir, fiz o procedimento que treinei”, completou.

 

 

Fonte: https://www.agoramt.com.br/2022/07/camara-de-cuiaba-pode-convocar-sessao-extra-para-discutir-afastamento-de-paccola/