Por requerimento do senador Cidinho Santos (PR/MT), a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal realizou uma audiência conjunta nesta quarta-feira, 07, sobre o Programa Nacional de Febre Aftosa, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura (MAPA), que tem como objetivo obter o status de zona livre da febre aftosa sem vacinação para todo o território nacional.

O Ministério da Agricultura justifica que a obtenção do status eleva o país a um novo patamar, conferindo um diferencial na disputa por novos mercados de produtos de origem animal.

Atualmente, apenas Santa Catarina é considerada zona livre de febre aftosa sem vacinação e a maior parte do país é considerada como área livre de febre aftosa com vacinação. 99,6% do rebanho nacional está em zona livre de febre aftosa e o Brasil não tem qualquer registro da doença por mais de dez anos.

A mudança se dará de forma gradativa e regionalizada e a previsão é para execução em dez anos.

“É um projeto ousado de realização de um sonho antigo. O Ministério da Agricultura está nos mostrando que é um processo que já está sendo desenvolvido há anos e agora faremos a travessia final, com muito cuidado”, disse o senador Cidinho.

A audiência contou com a participação da Comissão de Agricultura da Câmara, do diretor do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária do MAPA, Guilherme Marques; do consultor de Defesa Agropecuária da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e representante do Grupo Interamericano de Erradicação da Febre Aftosa (GIEFA), Décio Coutinho; do diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (FAMATO), Antônio Carlos Carvalho e da diretora técnica do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA/MT), Daniella Bueno.

 

Fonte: Assecom