Eduardo Botelho prometeu abrir espaço mais vezes para Janaina Riva comandar o Legislativo

(POR Gabriela Galvão)

Depois de 47 dias afastado da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) reassumiu a presidência da Casa nesta segunda-feira (03) e prometeu abrir espaço mais vezes para Janaina Riva (MDB) comandar o Legislativo.

Segundo Botelho, no período em que ela esteve em seu lugar, Janaina demonstrou estar preparada para assumir qualquer cargo, seja ele de presidente ou de prefeita – ela é uma das cotadas para a disputa pela Prefeitura de Cuiabá em 2020. “Vamos continuar fazendo isso, você não vai sair de perto de mim. É importante essa oxigenação, visão diferente da presidência, não sou dono de cargo, de poder, poder é para ser compartilhado”.

Ao inaugurar o quadro da parlamentar na galeria de ex-presidentes da Casa, Botelho também comentou a atuação dela em casos como dos carros alugados pela Assembleia Legislativa que não haviam sido devolvidos por ex-deputados. “Ela teve mais pulso do que eu e resolveu a situação”.

Nesse domingo (02), Janaina Riva também falou sobre sua gestão como presidente. Em texto publicado no seu perfil nas redes sociais, ela classificou sua passagem pelo comando do Legislativo como um marco para todas as mulheres do estado sobre a capacidade feminina.

“Foi um período importantíssimo de crescimento profissional e pessoal. Foi uma oportunidade ímpar de eu mostrar aos meus colegas deputados, que são 23 homens, que eu tenho capacidade para administrar a Casa de Leis. Mesmo em pouco tempo eles conseguiram visualizar um pouquinho do meu perfil, do meu modelo de atuar. Eu sou muito dedicada e acho que isso é uma característica das mulheres. A gente se envolve muito, somos muito organizadas, pragmáticas e resolutivas”, escreveu.

Eduardo Botelho pediu licença de 120 dias para tratamento de saúde em 17 de abril, abrindo espaço para, pela primeira vez na história da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, uma mulher assumir o posto de presidente da Casa. Quanto ao retorno em menos de 50 dias, ele assegurou que não houve antecipação. “A data já estava pré-determinada”.

 

 

 

FONTE: https://olivre.com.br