cacique

Prisão ocorre 20 anos após o crime e 10 anos após a condenação. Indígena respondia em liberdade por força de um habeas corpus. Foto – Reprodução

O caso do servidor da Fundação Nacional do Índio – FUNAI, Floriano Márcio Guimarães, morto em 2001 pelo cacique Xavante, Marvel Xavante, teve como desfecho a prisão do indígena na tarte de ontem (20), pela Polícia Federal.

Marvel foi condenado a mais de 12 anos de prisão em 2011 pelo crime de homicídio qualificado e estava solto desde então por força de um habeas corpus garantido pelo Tribunal Regional Federal – TRF.

Crime cruel

Floriano era o então chefe regional da FUNAI e o crime executado foi classificado como “cruel”, sem qualquer chance de defesa da vítima. O servidor acabou degolado por um canivete.

A motivação do crime seria uma disputa de terra na região que desgrava os indígenas. O cacique foi preso em Barra do Garças e segue à disposição da Justiça Federal, que é responsável pelo caso.

 

 

 

Fonte: https://nmt.com.br/2021/01/21/cacique-que-degolou-chefe-da-funai-com-canivete-e-preso-em-mt/