O presidente também disse que a prioridade da ALMT será pôr fim a greve dos professores

(POR Gabriela Galvão)

Ao reassumir a presidência da Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (03), o deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) anunciou que os servidores da Casa, assim como os do Executivo estadual, não vão receber a Reposição Geral Anual (RGA).

“Fomos alertados pelo Tribunal de Contas do Estado, estamos no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal para gastos com pessoal. Estamos no alerta, não podemos conceder aumento também agora”, ressaltou ele, que havia se licenciado para tratamento de saúde.

Na oportunidade, o presidente também declarou que a prioridade do Legislativo será trabalhar para pôr fim a greve dos professores da rede pública de ensino, iniciada no último dia 17. Segundo Botelho, a Assembleia não pode se furtar de cumprir seu papel de intermediadora das discussões, o que será feito com o Governo do Estado, o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) e os professores.

“Nosso papel é ser palco das discussões e vamos chamar essa responsabilidade. Vamos entrar no meio disso e resolver isso. A prioridade da Casa agora é discutir essa greve e a volta às aulas e essa tem que ser uma prioridade para o estado também. Os alunos não podem ficar sem aula, isso gera transtorno para todo mundo, temos que trabalhar para voltar às aulas o mais rápido possível”, pontuou.

O presidente disse ainda que o Sintep está certo em defender o direito adquirido dos professores de receber aumento, mas que o estado não tem condições de arcar com esse montante no momento. “Temos que definir isso e chegar a um acordo para deixar o reajuste para o momento em que o estado sair dessa crise que está”.

Reivindicações

Os professores da rede pública de educação de Mato Grosso deflagraram greve no dia 17 de maio, pleiteando especialmente a recomposição salarial de 7,69%, mais a inflação de 3,43% referente a 2018, e uma nova convocação dos aprovados no último concurso público, realizado em 2017.

 

 

FONTE: https://olivre.com.br