(Por Carlos Gustavo Dorileo, Olhar Direto)

A deputada federal Rosa Neide (PT) denunciou suposta tentativa de “compra de votos” da bancada federal de Mato Grosso por parte do governo Bolsonaro, ocorrida em reunião realizada na Câmara Federal na semana passada. De acordo com ela, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, teria oferecido a liberação de emendas parlamentares para os que votassem a favor da reforma da Previdência.

A parlamentar informou que Abraham Weintraub teria oferecido R$ 10 milhões para deputados e R$ 15 milhões a senadores, por intermédio de emendas parlamentares.

Rosa Neide explicou que a tentativa de aliciamento aconteceu durante uma audiência ocorrida no Ministério da Educação no dia 29 de maio, em que deputados federais e senadores do Estado debatiam soluções para o contingenciamento na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

“Fui testemunha ocular, eu não li na Folha e não foi fake news. Eu estava acompanhando os reitores das universidades públicas de Mato Grosso juntamente com parte da bancada no Ministério da Educação para discutir o chamado contingenciamento na educação, quando o ministro que estava ao meu lado disse para os presentes que o país está falido, mas que iria fazer um encaminhamento de emendas extras de R$ 10 milhões para deputados e R$ 15 milhões para senadores R$ 15 milhões que votarem a favor da Reforma da Previdência, e que o recurso pode ser direcionado para resolver o problema das universidades e dos institutos. Eu reagi e ele foi grosseiro”, disse a parlamentar.

Participaram da audiência o deputado estadual Thiago Silva (MDB); os senadores Wellington Fagundes (PR) e Jayme Campos (DEM); os reitores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Myrian Serra e do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Willian Silva de Paula; e os deputados federais Leonardo Albuquerque (SD), Neri Geller (PP), além de Rosa Neide.

Os deputados Alencar Santana (PT-SP) e Paulo Teixeira (PT-SP) qualificaram a denúncia como gravíssima e pediram providências ao colegiado. Ambos, junto com Rosa Neide, apresentaram um requerimento de convocação do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, para explicar o caso na Comissão Especial. Na ocasião, o deputado Bira do Pindaré (PSB-MA) também apresentou requerimento de convocação do ministro Weintraub.

Para Alencar Santana, a Câmara dos Deputados deve tomar providências, pois toda a Casa foi colocada sob suspeição, a começar pela Comissão Especial que analisa a PEC 6/2019. “Não pode pairar essa suspeição”, alertou. Paulo Teixeira alertou que se trata de “tentativa de aliciamento, de chantagem e de compra de voto” por parte do governo. Ele ironizou a prática de Bolsonaro: “É isto o que chamam de nova política?”.

Já o deputado Silvio Costa Filho (PRB/PE), que presidia a sessão, reconheceu que a atitude de Weintraub, conforme a denúncia de Rosa Neide e testemunhada por várias pessoas, atinge todo o Parlamento. Ele aanunciou que levará o caso para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para que as providências cabíveis sejam tomadas.

 

 

Fonte: https://www.olhardireto.com.br