Sema

O deputado João Batista (Pros) cobrou, por meio de um requerimento, informações ao governo estadual sobre a atuação de garimpos ilegais no município de Poconé (104 km ao sul de Cuiabá). De acordo com a denúncia, imagens de satélite mostram atividades de exploração ilegal.

O documento foi encaminhado para a secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazaretti. Conforme o parlamentar, imagens de satélite do aplicativo Google Maps exibem garimpos em Poconé, no Distrito de Cangas e demais áreas vizinhas. Ele questiona se esses locais de exploração estão atuando em conformidade com a lei.

Em seguida, ele indaga quais foram os últimos monitoramentos do local, para verificar o controle e estabilidade das barragens, maciço, bancadas e taludes das minas a céu aberto, áreas de depósitos de estéril, rejeitos, percolação da água e mais.

O deputado aponta ainda que Poconé é um dos locais de maior extração de ouro de Mato Grosso, e, naturalmente, há muitos pontos ilegais. “Infelizmente, embora algumas explorações auríferas possuam o licenciamento ambiental, a falta de controle da atividade aliada a uma fiscalização precária e insuficiente tem gerado danos visíveis a ‘olho nu’ por quem transita naquela localidade”.

Batista ainda descreve o dano ambiental como “enorme queijo suíço”. “A existência de enormes crateras nos arredores de Poconé e demais áreas circunvizinhas pode ser vista do alto como do solo. Pelo App Google Maps observa-se claramente o gigantesco problema criado pela exploração dessa atividade. A imagem nos remete a um enorme queijo suíço”.

Ele relembra que em janeiro de 2020 a Justiça do Trabalho determinou interdição de toda atividade de exploração e benefeciamento mineral, bem como descarte de rejeito no local, no garimpo do Tico Pirambeira.

“As irregularidades constatadas no garimpo foram consideradas “gravíssimas” pelo MPT e estão relacionadas à ausência total de plano de ação de emergência, falta de profissional técnico habilitado para monitoramento da barragem e atividades de exploração do minério, instabilidade da barragem, a não concessão de equipamentos de proteção individual, entre outras”, descreve.Por fim, ele solicita o requerimento para buscar informações sobre a fiscalização e monitoramento dos garimpos ao longo da rodovia MT 060, em Poconé, Distrito de Cangas e outros.

 

 

 

Fonte: https://www.gazetadigital.com.br/editorias/politica-de-mt/deputado-estadual-cobra-fiscalizao-de-garimpos-ilegais-em-pocon/642774