Diferença de custo entre um aluno um presidiário é de, pelo menos, R$ 1 mil por mês

(Por Thiago Andrade, O livre)

Dados do governo do Estado mostram que Mato Grosso gasta, mensalmente, R$ 700 por aluno da rede estadual de ensino e até R$ 2,7 mil com presidiários que estão sob sua custódia.

Dados de 2018 apontam que o Estado usou R$ 555,9 milhões para cuidar do sistema penitenciário e atender os 12.207 (números daquele ano) detentos de Mato Grosso.

Já o custo da educação no ano passado foi de R$ 2,7 bilhões para atender os 394 mil alunos no sistema estadual de ensino.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) tem hoje o segundo maior orçamento do governo, perdendo só para a Previdência estadual.

O levantamento do custo de um preso em Mato Grosso foi feito pelo Estado a pedido do Tribunal de Contas e levou em consideração os números de 2017.

Já os dados de quanto o Estado investe em um aluno levam em conta os números divulgados pela própria Seduc.

Dados de 2019

Números do governo apontam que, em 2019, o Estado já gastou R$ 158,8 milhões no sistema prisional. O valor é equivalente a 1,7% dos recursos totais gastos pelo Poder Executivo.

Já com a Educação o governo já gastou R$ 1,5 bilhão, cerca de 16,8% de tudo o que foi gasto pelo governo ao longo do ano até agora (R$ 9,2 bilhões).

O que diz o governo

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), pasta responsável pelo sistema prisional de Mato Grosso, o custo de um detento do regime fechado leva em conta valores gastos com os salários dos agentes prisionais, impostos, contratos de alimentação, manutenção, transporte, monitoramento, coleta de resíduos de saúde, serviços funerários e compra de medicamentos.

A Seduc foi procurada pela reportagem do LIVRE, mas não respondeu até a publicação desta matéria.

 

Fonte: https://olivre.com.br