Prefeito diz que gestores encontraram milhares de luvas escondidas em banheiro de hospital

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro: boicote no Pronto-Socorro

 

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou, nesta sexta-feira (31), que o atual Pronto-Socorro da Capital sofre boicotes e desestruturação.

Segundo ele, milhares de luvas foram encontradas escondidas no banheiro da unidade.

“Há um problema de falta de medicamentos, que é uma guerra constante, porque entra um problema de gestão, que eu sei que há e que estou em cima. Mas há, também, boicotes, há também uma desestruturação, uma má vontade em virtude do novo momento que estamos vivendo na saúde pública”, afirmou.

A declaração foi dada durante entrega da 3ª etapa do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) Dr. Leony Palma de Carvalho. A entrega da terceira etapa consiste no funcionamento de mais 90 leitos de enfermarias clínicas entre masculinas, femininas e pediátricas.

Já teve um fato agora recente, que esconderam insumos. Encontramos milhares de luvas escondidas no banheiro

O prefeito disse que um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) foi aberto para investigar o caso. Ele disse ainda não saber os responsáveis pelo boicote a unidade, que deve completar 40 anos em breve.

“Eu quero descobrir. Já abrimos alguns PADs e, em breve, saberemos. Deixa a gente ter prova concreta. Não quero ser leviano, nem irresponsável. Mas está havendo. Já teve um fato agora recente, que esconderam insumos. Encontramos milhares de luvas escondidas no banheiro”, citou.

“Então, estamos indo para cima, porque nosso compromisso é com a população. Vamos para cima e vamos humanizar a saúde pública, mesmo com algumas pessoas querendo jogar contra e torcendo para o quanto pior, melhor”, disse.

“Situação deplorável”

Emanuel reconheceu que o hospital encontra-se em situação complicada. Recentemente, a senadora Selma Arruda (PSL) fez duras críticas após realizar uma visita à unidade.

Segundo ela, há pacientes morrendo na unidade em razão de procedimentos realizados de maneira inadequada ou ainda por conta da falta de insumos básicos.

“O que posso dizer sobre a situação deplorável do atual Pronto Socorro é que essa obra está fazendo 40 anos daqui a um ou dois anos. Todos sabem disso. Há décadas o estado é deplorável, por isso estou entregando o HMC. Exatamente, este é um dos motivos”, afirmou.

“As pessoas que estão lá estão sendo cuidadas com toda a dignidade e respeito, não tem mais corredor. Vou enfrentar isso até o último momento. No segundo semestre, quando definirmos 100% o que fazer com o atual Pronto-Socorro, será fechado para reforma. Vai funcionar a ala pediátrica e os 50 leitos de retaguarda. Esses, sim, estão em ótimo estado, porque eu reformei e promovi a revitalização completa”, completou.

 

 

Fonte: https://www.midianews.com.br