A Multimetal Engenharia de Estruturas, empresa apontada pelo Ministério Público Federal (MPF) como de “propriedade oculta” do ex-deputado José Geraldo Riva (sem partido), foi responsável pela construção da torre de transmissão da TV Assembleia. A obra foi feita durante a presidência de Riva no Legislativo e custou R$ 6 milhões aos cofres públicos em 2011.

Localizada junto ao prédio da Assembleia, a torre de transmissão tem 110 metros de altura, conta com uma antena Slot, oito fendas e uma sala climatizada com 140 metros quadrados, onde ficam armazenados os equipamentos de operação da TV Assembleia.

Um ano antes da inauguração da torre, em 2010, Janete Riva, mulher do ex-deputado, havia adquirido 40% da Multimetal pelo valor de R$ 3,5 milhões, divididos em cinco parcelas de R$ 700 mil. Segundo o MPF, o contrato firmado foi “de gaveta”, ou seja, não foi levado a público. O nome de Janete não aparece na lista de sócios.

Anos depois, em 2014, a polícia descobriria o contrato ao fazer buscas na casa de Riva durante a quinta fase da Operação Ararath. Os papéis, de acordo com o MPF, estavam no banco de uma caminhonete do ex-deputado.

Operação Descarrilho

Ednilson Aguiar/O Livre

Antena Assembleia Legislativa

A torre da Assembleia: obra de R$ 6 milhões

A aquisição da empresa por parte de Janete Riva foi revelada à imprensa na semana passada, quando foi deflagrada a Operação Descarrilho, que investiga fraudes no contrato do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

A Multimetal foi subcontratada pelo Consórcio VLT para fazer parte das obras. Segundo o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), isso foi feito a pedido de Riva.

Em depoimento, ex-governador relatou um encontro entre ele, o então secretário Extraordinário da Copa Maurício Guimarães e Arnaldo Manoel Antunes, diretor executivo da construtora CR Almeida – empresa que faz parte do Consórcio VLT.

A empresa recebeu R$ 11,5 milhões pelos serviços de estrutura metálica dos centros de manutenção e operação do modal.

Os procuradores responsáveis pela Operação Descarrilho afirmaram que Riva usou a mulher como “testa de ferro” no contrato.

O MPF ainda destacou que, nas eleições de 2010, quando disputou a reeleição à Assembleia Legislativa, José Riva recebeu R$ 120 mil da Baggio e Cia Ltda, nome anterior da Multimetal. Atualmente, a empresa se chama Indústria Metalúrgica BL Steel Ltda.

As autoridades também listaram movimentações financeiras dos sócios da empresa, Altair Baggio e Guilherme Lomba de Mello Assumpção, que seriam incompatíveis com suas rendas.

Segundo informações da defesa de Riva, ele está colaborando com o MPF, o que pode indicar um acordo de delação premiada.

Fonte: http://olivre.com.br