Clube segue interessado e em contato com os representantes do atleta, mas descarta “loucuras”

Palmeiras segue monitorando a situação do atacante Hulk, livre no mercado após o fim de seu contrato com o Shangai SIPG, da China. O clube, porém, não vai apressar a negociação e não fará “loucuras” para contratá-lo.

A diretoria está em contato com representantes do jogador e já sabe da operação financeira que seria necessária para avançar no negócio com Hulk, mas os valores são considerados muito altos.

As quantias que envolveriam a chegada do atacante não são o único motivo para o Palmeiras ser cauteloso, já que a direção não cogita arriscar a saúde financeira do clube, ainda que pretenda reforçar o elenco.

Hulk em treino pelo Shangai SIPG, seu último time na China — Foto: VCG/VCG via Getty Images

Hulk em treino pelo Shangai SIPG, seu último time na China — Foto: VCG/VCG via Getty Images

Com a equipe envolvida ainda nas três competições da temporada, a prioridade neste momento é o foco nos torneios e na conquista de algum título. E não em contratações desse porte. Hulk só poderia jogar a partir de fevereiro.

A parte financeira também pesa em outros aspectos, como no possível retorno de Dudu, em maio. Arcar integralmente com os salários do atacante e de Hulk ao mesmo tempo teria um impacto gigante na folha salarial do Palmeiras.

Até o momento o Al Duhail, do Catar, não se manifestou sobre comprar o antigo camisa 7 – o clube tem até maio para isso.

Outro fator é o mandato do presidente Maurício Galiotte acabar no fim de 2021. Não é a intenção da atual diretoria se apressar para fechar com Hulk um contrato longo, com valores muito altos, para deixar para a próxima gestão arcar com a maior parte.

A seu favor, o Palmeiras conta com o desejo de Hulk de um dia jogar no Brasil, além do carinho que ele tem pelo Verdão. Ele é muito amigo de João Paulo Sampaio, diretor das categorias de base, com quem mantém contato constante. O dirigente tem participado das negociações. Os filhos do atleta começaram a treinar futsal no Verdão neste ano.

Mas o clube também sabe do interesse de equipes da Europa, do Oriente Médio e dos Estados Unidos pelo atacante. Até por isso, não cogita entrar em leilão. Recentemente o jogador chegou a ter conversas avançadas com o Wolverhampton, da Inglaterra, mas as novas regras de inscrição da Federação Inglesa esfriaram o negócio.

Agora, Hulk não pretende definir seu futuro neste momento. Ele está de férias com a família. A intenção do atleta é analisar bem as situações nas próximas semanas e definir sem pressa.

A postura do atleta vai ao encontro do que pensa o Palmeiras. O clube não pretende fechar a negociação neste fim de ano, até porque as possíveis premiações das competições podem ter impacto importante na parte financeira – o prejuízo estimado até outubro é de cerca de R$ 130 milhões.

Uma delas é justamente a Copa Libertadores, competição pela qual o Palmeiras entra em campo nesta terça-feira, às 21h30, contra o Libertad, pela partida de volta das quartas de final da Libertadores.

Hulk com João Paulo Sampaio, diretor das categorias de base do Palmeiras, no camarote do Allianz Parque — Foto: Tossiro Neto

Hulk com João Paulo Sampaio, diretor das categorias de base do Palmeiras, no camarote do Allianz Parque — Foto: Tossiro Neto