O deputado Ondanir Bortolini (PSD), o Nininho, voltou a criticar o governador Pedro Taques (PSDB) por conta de declarações que teriam sido feitas por ele em um evento do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), esta semana.

Em nota, o parlamentar disse que Taques teve tempo para se retratar, mas não o fez.

O tucano teria dito que não acreditava em ameaças supostamente feitas pela Mesa Diretora da Assembleia, de acionar a Justiça por causa de atrasos nos repasses dos duodécimos ao Poder.

“Já que o governador alega que a imprensa se equivocou ao divulgar a nota, eu esperava que, no mínimo, ele fizesse um pronunciamento se retratando, lembrando que a assessoria de imprensa do governo teve tempo suficiente para esclarecer a sua fala”, disse.

Nininho ressaltou o esforço dos colegas de Parlamento para aprovar projetos de interesse do Governo.

Para o deputado, apesar do empenho, Taques teria “faltado com respeito” ao fazer tais declarações.

“Votamos mais de 20 projetos entre eles mensagens, PEC, decreto, etc. A maioria vieram (sic) em cima da hora. E ainda, votamos cerca de 30 projetos do Legislativo” justificou o deputado.

Na quinta-feira (22), durante evento de entrega de ambulâncias, realizado no Palácio Paiaguás, Nininho chegou a discutir com o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, por conta do episódio.

Declaração

A fala do governador, que foi criticada pelo deputado Nininho, foi dada por Taques na última segunda-feira (19), durante cerimônia de posse do presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), desembargador Rui Ramos.

Na ocasião, um repórter questionou o governador sobre a possibilidade de a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa acionar o Executivo para repassar cerca de R$ 80 milhões em duodécimo (repasses constitucionais) que estão em atraso.

“A Assembleia ameaça acionar o Executivo na Justiça sobre o duodécimo”, disse o jornalista.

“Nós conversamos com presidente Guilherme Maluf hoje, ele disse que isso não é verdade. Tenho certeza que um homem como o Guilherme Maluf e a Assembleia Legislativa não ameaçam ninguém, né”, respondeu Taques.

Confira a íntegra da nota divulgada pela assessoria do deputado Nininho:

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa (ALMT), deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, fala sobre o motivo que o levou a cobrar esclarecimentos do governador Pedro Taques (PSDB), sobre uma declaração divulgada em nota no jornal A Gazeta, edição do dia 22 de dezembro.

Na nota o governador fala da falta de esforço para atender a demanda do Paiaguás, no que diz respeito à Reforma Tributária. Segundo Taques, “um homem como Guilherme Maluf e a Assembleia Legislativa não ameaçam ninguém”.

Nininho destaca que a Secretaria de Comunicação, teve oportunidade de falar sobre a nota veiculada em um jornal de ampla circulação. “Já que o governador alega que a imprensa se equivocou ao divulgar a nota, eu esperava que no mínimo ele fizesse um pronunciamento se retratando, lembrando que a assessoria de imprensa do governo, teve tempo suficiente para esclarecer a sua fala”, enfatizou Nininho.

“Votamos mais de 20 projetos entre eles mensagens, PEC, decreto, etc, a maioria vieram em cima da hora. E ainda, votamos cerca de 30 projetos do legislativo”, esclareceu o primeiro-secretário.

Segundo Nininho, ordenador de despesas da AL, tanto ele quanto o presidente Guilherme Maluf, foram notificados pelo MPE para tomar providências. “Não sou contra o pagamento do duodécimo, mas não sou a favor de jogar a culpa na Casa de Leis. Nós temos um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) a ser cumprido, estamos sujeitos a lei de responsabilidade fiscal. Eu sempre fui à favor do bom senso e do diálogo, e por   entender o momento de dificuldade que o estado enfrenta, sugeri que o excesso de arrecadação fosse incluído no TAC, e que seja feito um parcelamento dos repasses”, concluiu Nininho.

 

Fonte: www.midianews.com.br