Na tradicional reunião anual, realizada nessa sexta-feira (3) em Wembley, a International Board (IFAB, em inglês, organização responsável por ditar as regras do futebol) tomou importantes medidas sobre o futuro do futebol. A principal delas é a continuidade da proposta de usar o assistente de vídeo em competições oficiais. Mirando a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, a Fifa liberou que a proposta permaneça em teste durante campeonatos, assim como foi no Mundial de Clubes no ano passado.

Segundo a BBC, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, esteve na reunião e afirmou que o “objetivo e a mira” da entidade é que o árbitro de vídeo seja usado na Copa da Rússia.

De acordo com o repórter do SporTV Felipe Brisola, a Fifa pretende promover a medida em suas competições oficiais neste ano, como o Mundial sub-20, entre maio e junho na Coreia do Sul, a Copa das Confederações, entre junho e julho na Rússia, a Copa do Mundo sub-17, em outubro na Índia, e o Mundial de Clubes, em dezembro, nos Emirados Árabes Unidos.

Durante a primeira fase de tentativas, os membros da IFAB foram atualizados com relatórios de palestras e testes em 20 partidas organizadas para a utilização do árbitro de vídeo, liberada em 2016. Eles também receberam informações detalhadas sobre como a medida pode ser utilizada em 20 competições neste ano.

Pra já. Com isso, a Federação Inglesa (FA) irá usar o árbitro de vídeo nas quartas de final da Copa da Inglaterra, em partidas que acontecem entre 11 e 13 de março, envolvendo importantes times como Arsenal, Chelsea, Manchester City e Manchester United.

A IFAB, que é composta pela Fifa e outras quatro federações britânicas (inglesa, escocesa, galesa e norte-irlandesa), também quer rever outros conceitos como a ordem de quem começa batendo as cobranças de pênalti, uma vez que a entidade afirma que há “uma clara vantagem” para quem chuta primeiro.

O encontro também confirmou que os clubes poderão usar uma quarta substituição nas prorrogações, a partir da mesma fase da Copa da Inglaterra.

A proposta da quarta substituição será feita pela primeira vez na Inglaterra, mas já foi utilizada no ano passado na Copa América e nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Outra medida liberada é da suspensão temporária de jogadores em partidas de categorias de base e de divisões menores, assim como as substituições retornáveis. Essas serão introduzidas a partir de junho.

 

Fonte:  http://www.otempo.com.br/superfc/futebol