Agressor disparou três tiros; Polícia Civil ainda conseguiu colher o depoimento da vítima.]

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um garimpeiro de 58 anos foi assassinado a tiros no fim da noite do último domingo (30). Ele tentava defender uma mulher, de 35 anos, que estava apanhando do marido, de 35.

O caso aconteceu em um garimpo ilegal em Aripuanã (700 km de Cuiabá), por volta das 22 horas.

A Polícia Judiciária Civil conseguiu ouvir o garimpeiro, já baleado, quando ainda estava na sala de emergência do Hospital Municipal de Aripuanã, em estado crítico.

Conforme informações da Polícia Civil, ele disse que estava no garimpo quando presenciou um homem agredindo a esposa. Imediatamente, ele interveio na briga e discutiu com o suspeito, que sacou um revólver e atirou.

A vítima foi atingida por três tiros, que acertaram a barriga e o tórax. Ele foi socorrido e chegou a ser internado. Nessa segunda-feira (1º), porém, não resistiu aos ferimentos e morreu enquanto era transferido para o Hospital de Juína, em uma aeronave.

Uma enfermeira do Hospital Municipal de Aripuanã disse à Polícia Civil que, no dia que o garimpeiro foi baleado, a mulher que ele defendeu também compareceu à unidade de saúde, mas sem documentação.

Ela estava com uma lesão na cabeça e saiu do hospital antes que a polícia chegasse. O marido dela não foi encontrado e segue foragido. A Polícia Civil está investigando o caso.

 

Fonte: https://olivre.com.br