(Por: LUIS VINICIUS

A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) investiga se os quatro homens, suspeitos de terem trocado tiros com policiais do Batalhão de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam), pretendiam atacar a mineradora Maney de propriedade do governador Mauro Mendes (DEM), localizada nas proximidades do Morro de São Gerônimo.

800px-CSF_-_Comissa?o_Senado_do_Futuro_30832503173.jpg

Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) / Geraldo Magela

A dúvida surgiu quando a delegada da unidade, Juliana Palhares, disse, durante entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira (26), respondeu que está investigando essa possibilidade (de os criminosos terem a intenção de atacar a mineradora).

“É uma hipótese bastante crível de que eles tenham partido para um roubo a essa mineradora, tendo em vista o insucesso que tiveram nas ocorrências anteriores. É uma hipótese que também vai ser apurada na investigação”, explicou a delegada.

Ao HiperNotícias/HNT, o delegado titular da GCCO, Flávio Stringueta, informou que todos negaram a hipótese de roubo a mineradora em depoimento. Na oitiva, eles disseram que são vítima e que estavam indo trabalhar no momento do confronto com policiais militares.

“Eles disseram que estavam indo trabalhar e foram vítimas da PM. Ainda não temos confirmação disso (que eles iriam atacar a mineradora), mas não descartamos”, disse a autoridade policial à reportagem.

Ainda durante a coletiva, Juliana disse que o grupo é suspeito de ter explodido um caixa eletrônico de uma drogaria, localizada em um posto de combustível, no bairro Trevisan, na Capital. Os bandidos são investigados também na explosão do terminal bancário do supermercado Bom Gosto, em Várzea Grande. Os fatos aconteceram no dia 16 e 24 de maio, respectivamente.

PJC-MT

juliana.jpg

“GCCO tem fortes indícios que esses quatro indivíduos presos participaram dessas últimas ações criminosas, inclusive no confronto com a equipe da Rotam pela manhã. Todo esse conjunto de situações nos conduz a classificar que os quatro integrantes presos hoje e o integrante que foi morto no confronto com a PM como partes dessa organização criminosa. Existem outras pessoas envolvidas? Com certeza, agora os esforços é para identificá-los e também prendê-los”, disse a delegada durante coletiva.

Prisões

Os quatro suspeitos foram presos na tarde de segunda-feira (25), em uma casa, localizada no bairro Barbado, em Cuiabá.

Com eles, foram encontrados duas pistolas 9 mm, sendo uma da Polícia Rodoviária Federal (PRF), um revólver calibre 38, uma garrucha calibre 38 e munições para todos os armamentos apreendidos. No imóvel, os agentes localizaram também um bloqueador de sinal.

Os quatro criminosos deverão responder inicialmente por roubo, organização criminosa, posse ilegal de arma de fogo e munições de uso permitido.

 

Fonte: https://www.hnt.com.br/policia//gcco-investiga-se-criminosos-pretendiam-atacar-mineradora-de-governador/171489