O governo do Estado informou, em nota, que foi procurado por um representante “da empresa Davati Medical Supply, chamado Helder Mello, que encaminhou email para a Casa Civil, em março deste ano, com oferta de vacinas contra a Covid-19 da fabricante Johnson & Johnson”.  De acordo com ele, as vacinas seriam oferecidas ao custo de U$ 14 por dose, com prazo de entrega de até 10 dias após a assinatura do contrato. Ainda conforme o email, não seria necessário o pagamento antecipado.

“Em resposta à oferta, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, solicitou a Carta de Representação da empresa com a fabricante. No entanto, o documento não foi apresentado e o governo não deu sequência a nenhuma tratativa com a empresa”, confirma o governo estadual.

A CPI da Covid no Congresso teve acesso a mensagens no telefone celular do cabo PM Luiz Paulo Dominguetti indicando que o governo de Mato Grosso também foi procurado e feita oferta de suposto esquema de venda paralela de vacinas contra a Covid. Dominguetti é investigado pela CPI.

O governo de Mato Grosso negocia, através de consórcio formado por diversos Estados, busca consolidar a compra de 1,2 milhão de doses da vacina russa Sputnik que, recentemente, foi liberada a importação pela ANVISA.

 

 

 

FONTE: https://www.sonoticias.com.br/politica/governo-de-mt-nao-comprou-vacinas-ofertadas-por-representante-de-empresa/