Um ladrão escalou oito andares e furtou cinco apartamentos do Edifício Ville Dijon, na madrugada de sábado (5), na Praça Popular, em Cuiabá.

Crimes como este – cujo praticante é chamado de “Homem Aranha” – foram comuns em 2016, mas haviam cessado neste ano.

Desta vez, o “visitante” conseguiu invadir o prédio ao entrar pela sacada do primeiro apartamento. Posteriormente foi escalando andar por andar, entrando em todos que estavam com a porta da sacada destrancada.

Ao Midianews, o síndico do edifício, Elzio Alves Corrêa, afirmou que esta foi a primeira vez que o local é alvo de criminosos. Segundo ele, no dia dos furtos, coincidentemente as câmeras do circuito de monitoramento interno de segurança estavam desligadas e não registraram a ação.

“Justo neste final de semana estava havendo recomposição das câmeras. Então elas estavam desligadas. Mas ele [invasor] deixou o rastro por toda parede. É só olhar que vai ver as marcas de pé, em que demonstra que ele subiu pelas caixas de ar-condicionado”, disse.

Elzio relatou que os moradores só perceberam a invasão no dia seguinte e que, segundo os moradores, nada de valor foi levado.

“Ele visitou todos os apartamentos, onde ele encontrou a porta da varanda aberta. Um cachorrinho de uma das moradoras acusou a invasão, mas a moradora disse que não deu importância. Achou que não fosse nada. Em outro ele conseguiu revirar tudo, só que não levou nada”, contou.

O criminoso ficou tão distraído que esqueceu o celular dentro de um dos apartamentos que invadiu.

O aparelho foi entregue para a Polícia Civil, que está investigando o caso. Até o momento nenhum suspeito foi preso.

O sindico informou que, após a invasão, convocou uma reunião com todos os moradores para que seja tomada uma nova medida de segurança no local, que deve acontecer nesta segunda-feira (7).

Outros casos

Os furtos em edifícios começaram a acontecer em janeiro de 2016 e, na maioria das vezes, na região central de Cuiabá.

Foram mais de 30 casos de invasão e furto de apartamentos registrados pela Polícia Civil no decorrer do ano.

Não existe um número certo de ocorrências registradas nessa modalidade, já que os casos são registrados como furto.

Devido ao grau de complexidade para a fuga, os ladrões fugem dos apartamentos levando pequenos objetos de valores, como celulares, jóias, carteiras e outros.

Entre os casos, está o furto que ocorreu em um apartamento no Goiabeiras, onde o suspeito invadiu, revirou a casa, comeu vários alimentos da geladeira e ainda teve tempo para sentar e fumar um maço de cigarro da vítima.

Fonte: http://www.midianews.com.br