Jefferson Rudy/Agência Câmara

O senador Jayme Campos (DEM) justificou, por meio de nota, os gastos referentes às suas viagens realizadas no ano passado, avaliadas em R$ R$ 46.812,55. De acordo com o parlamentar, ele tem direito à Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP), que lhe concede R$ 420 mil por ano para realizar seus compromissos enquanto senador.

Segundo explica o democrata, o valor anual do CEAP – que equivale ao total de recursos que os senadores de Mato Grosso e demais estados têm direito – é de aproximadamente R$ 420 mil. A quantia deve ser usada para despesas como aluguel de imóveis para escritório, aquisição de material de consumo, locomoção, hospedagem, alimentação e outros.

 

“De fato, assim como qualquer outro parlamentar no país, tenho direito a utilizar parte dos recursos da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP) para a aquisição de passagens aéreas, desde que esteja em viagem oficial cumprindo atividade parlamentar. Há inúmeras normativas a este respeito no portal do Senado Federal, assim como os valores que cada um utiliza. Os dados são públicos e estão à disposição de qualquer cidadão”, exemplifica.

Da quantia disponível, ele utilizou R$ 85,9 mil. O senador justifica os gatos, em sua maioria com viagens, pois participou de várias sessões legislativas, onde cumpre seu papel.

“Pois bem, desse montante, utilizei R$ 85,9 mil, ou cerca de 20% do total a que tive direito em 2020. A maior parte desse gasto, um total de R$ 46,8 mil, foi justamente utilizada para a aquisição de passagens aéreas para participar das sessões legislativas do Senado Federal, ou seja, para cumprir estritamente com o papel para o qual fui eleito com 490.699 votos”, justifica Jayme.

Ele ainda defende que o uso desta cota seja exclusivamente para gastos referentes a atividades parlamentares.

“Sempre pautei minha vida pública com respeito ao cidadão e aos recursos públicos. Minhas campanhas sempre foram feitas com meu esforço e com minhas economias. Sou contra, inclusive, a utilização de recursos públicos para o financiamento de campanhas políticas, tanto que apresentei Projeto de Lei 2.158/2020 para extinguir definitivamente o financiamento de campanhas e direcionar os recursos para ações de combate à pandemia”, pontua.

 

 

 

Fonte: https://www.gazetadigital.com.br/editorias/politica-de-mt/jayme-campos-justifica-gastos-realizados-em-viagens-com-cota-parlamentar/643452