O juiz de Direito Marcos Faleiros, da 11ª Vara de Crimes Militares da Comarca de Cuiabá, decretou a prisão do coronel PM Zaqueu Barbosa, ex-comandante-geral da PM de Mato Grosso, e do cabo Gerson Ferreira Gouveia Júnior.

 

Eles são acusados de participação em um esquema de escutas telefônicas clandestinas, que teriam sido feitas pelo setor de Inteligência da PM, com anuência de setores do Palácio Paiaguás. Os mandados de prisão estão sendo cumpridos na tarde desta terça-feira (23).

 

Os militares serão encaminhados ao Instituto Médico Legal, para exame de corpo de delito, e em seguida ao Fórum de Cuiabá, para audiência de custódia.

 

Segundo apurou o MidiaNews, o juiz agiu de ofício, ou seja, decidiu decretar as prisões com base nos elementos e informações existentes no inquérito. A medida é prevista na Lei Orgânica da Polícia Militar.

 

Em sua decisão, o magistrado afirma que há evidências que, de fato, emergem indícios que o conteúdo da documentação seja verdadeiro.

 

Este magistrado verificou indícios do envolvimento não só do Cel PM Zaqueu, apontado como mandante das ordens de ações militares de interceptações telefônicas

“Este magistrado verificou indícios do envolvimento não só do Cel PM RR Zaqueu, apontado como mandante das ordens de ações militares de interceptações telefônicas, e quem mantinha contato pessoal com magistrados para viabilizar os grampos clandestinos, como também do Cabo PM Gerson Luiz Ferreira Correa Junior, responsável por formalizar os pedidos, prorrogações e relatórios de inteligência dos grampos ilegais à Justiça”, diz trecho da decisão.

 

“O suposto esquema de grampos clandestinos militares, feitos por alguns policiais militares, tinha a finalidade de espionagem política, escuta de advogados no exercício de sua função, jornalistas – cujo sigilo da fonte é constitucional, desembargadores, deputados – com foro de prerrogativa, médicos – cuja relação com o paciente também é sigilosa, inclusive de “amantes” de poderosos”, escreveu o juiz.

 

MidiaNews

O juiz Marcos Faleiros, que decretou a prisão dos PM´s

Denúncia ao MPF

 

A denúncia sobre a rede de grampos foi feita no início deste ano, ao Ministério Público Federal (MPF), pelo promotor de Justiça Mauro Zaque, ex-secretário de Estado de Segurança Pública.

 

Zaque disse que recebeu uma denúncia anônima, com documentos, que evidenciavam a prática ilegal. Segundo ele, a denúncia foi levada ao conhecimento do governador Pedro Taques (PSDB) em setembro de 2015.

 

O esquema funcionaria por meio da chamada “barriga de aluguel”, quando números de telefones de cidadãos comuns, sem conexão com uma investigação, são inseridos em um pedido de quebra de sigilo telefônico à Justiça.

 

No caso, teriam sido espionados adversários políticos do Governo, médicos e advogados.

 

Entre os grampeados estaria a deputada Janaina Riva (PMDB); o advogado José do Patrocínio; o desembargador aposentado José Ferreira Leite; a filha do ex-comendador João Arcanjo Ribeiro, Kelly Arcanjo Ribeiro Zen; e os médicos Sergio Dezanetti (de Alta Floresta), Luciano Florisbelo da Silva (do Hospital Santa Rosa, de Cuiabá), Paullineli Fraga Martins (médico perito, de Alta Floresta), Helio Ferreira de Lima Junior (médico ginecologista) e Hugo Miguel Viegas Coelho (médico da Policlínica de Várzea Grande).

 

Fonte: http://www.midianews.com.br