O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) escolheu Mário Roberto Kono como novo desembargador que irá compor a Corte. A decisão ocorreu durante sessão pública extraordinária do Tribunal Pleno nesta quinta-feira (27). O magistrado atuava no Juizado Especial Criminal de Cuiabá.

O novo membro ocupará a vaga aberta em virtude da aposentadoria da desembargadora Cleuci Terezinha Chagas. Disputavam a vaga ao desembargo 18 juízes que fazem parte da primeira quinta parte dos magistrados mais antigos lotados na entrância especial. O novo desembargador disse que sua missão será a mesma.

“Muda a forma de você agir, mas a missão é a mesma, de poder realmente trazer a Justiça e cumprirmos a meta sempre, da pacificação social. É uma nova seara que nós vamos trabalhar e ver de que forma nós podemos realmente trazer pacificação, trabalhar soluções de conflitos e no que tiver que ser julgado realmente tentar trazer, através da modernidade, através dos sistemas eletrônicos, uma forma de tornar mais ágil, porque nós sabemos que a nossa Justiça, como um todo, não acompanha a evolução das demandas, então vamos ver o que a gente consegue pelo menos tentar agilizar”

A escolha, por merecimento, ocorreu em votação nominal, aberta e fundamentada, de acordo com critérios e normas que determinam a análise da produtividade do candidato, a presteza no exercício das funções, o aperfeiçoamento técnico e a adequação da conduta ao Código de Ética da Magistratura, nos termos da Resolução 106 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Kono disse que se sentiu gratificado em ser escolhido.

“Ninguém que estava ali competindo tinha algo a perder, tínhamos algo a ganhar, mas sabíamos que a vaga era só para um, e eu sabia também do nível de excelência dos meus amigos e concorrentes. Então ficava naquela expectativa, se não for que seja algo melhor para o Judiciário. Felizmente assim reconheceram os desembargadores, não foi fácil, justamente pelo nível de excelência, que foi muito citado, então me sinto gratificado e me sinto também, ao mesmo tempo, responsabilizado em atuar cada vez melhor e tentando fazer o melhor possível dentro do Poder Judiciário”.

Com o preenchimento da vaga, o TJMT completa seu quadro de 30 desembargadores. Com a experiência que teve, o novo desembargador afirmou que será mais objetivo em suas decisões.

“Como nós temos uma larga experiência de juizado, o que a gente vai buscar trazer, como nossa forma de serviço, o que também não é nenhuma novidade, será a objetividade, ou seja, sentenças curtas, acórdãos curtos. Porque o que realmente interessa à parte é depois do isto posto, querem saber o veredito, então as minhas decisões devem ser mais objetivas”.

 

 

FONTE: https://www.olharjuridico.com.br