Militares tentam reduzir contribuição previdenciária de 14% para 9,5%

costas-mauromendes-pm.jpg

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou em coletiva nessa terça-feira (2) que não vai diminuir a alíquota de contribuição previdenciária de 14% para 9,5%, como é aplicada a nível nacional para os setores de segurança pública. Como justificativa, Mauro alegou que todos os servidores têm os mesmos direito e exemplificou que um professor ganha menos do que um policial militar.

“Se o estado gasta mal, se dá mais para uns do que para outros, isso vai faltar em algum lugar. Respeito muito nossos servidores, mas um professor ganha menos do que um policial militar. Então se vale para o militar, vale para o professor e vale para todo mundo. Agora, esse tema já foi discutido e superado”, afirmou o governador.

Ainda segundo ele, o assunto já foi amplamente debatido e não há mais o que discutir. “Existe uma normativa na reforma da previdência, isso para mim já é ponto superado. Tivemos um grande debate democrático na Assembleia Legislativa no ano passado e superamos essa fase O Brasil tem que entender o seguinte: não existe nada de graça. Quem paga a conta é o cidadão. O estado não produz nada, quem produz é o cidadão”, disse.

No ano passado, os deputados estaduais ligados à Segurança Pública tentaram excluir militares e servidores da saúde da reforma. A Reforma da Previdência aumentou a alíquota de contribuição dos servidores de 11% para 14%. A regra, segundo o texto elaborado pelo governo, valia para todos os servidores, mas os parlamentares fizeram mudanças e aprovaram o projeto isentando os servidores que ganham menos de dois salários-mínimos.

 

FONTE:https://www.folhamax.com/politica/mauro-descarta-reduzir-aliquota-de-pms-ganham-mais-que-professores/289620