Hilma Balsamão de Morais, 38, morreu após cair da varanda de apartamento em BH - Reprodução/Facebook

Hilma Balsamão de Morais, 38, morreu após cair da varanda de apartamento em BH Imagem: Reprodução/Facebook

A administradora de imóveis Hilma Balsamão de Morais, 38 anos, morreu na última sexta-feira (20) ao cair da cobertura do prédio onde mora o namorado, Gustavo de Almeida Veloso, no bairro Castelo, na região da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). A queda foi de uma altura de 15 metros.

Ao UOL, a Polícia Militar informou que a mulher estava no local, onde iria começar uma festa, mas em algum momento houve uma briga. Ela teria se pendurado na sacada e pulado. Ainda de acordo com a PM, o Boletim de Ocorrência foi registrado como suicídio, o que impossibilita passar mais informações oficiais sobre o caso.

Apesar dessa hipótese, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) investiga se houve outra causa da queda, como um possível homicídio. Em nota, a PC informou que os trabalhos de perícia no local já foram iniciados e testemunhas serão ouvidas. E que vai aguardar os resultados periciais.

O inquérito será conduzido pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). A corporação informou ainda que “nenhuma linha de investigações está sendo descartada”

Hilma Balsamão de Morais caiu da cobertura do namorado, que fica em BH - Reprodução/Google - Reprodução/Google

TV apresenta versão de Gustavo Segundo o Bom Dia Minas, que teve acesso ao B.O, Gustavo contou que teve uma discussão com Hilma no apartamento e que teria pedido ao próprio filho para filmar a briga.

A mulher, então, teria tirado o celular da mão do jovem, jogado o aparelho no chão e, em seguida, ido para a cobertura do apartamento, onde se dependurou no terraço e pulou. Gustavo afirmou ainda que não agrediu a vítima.

Irmão não acredita em suicídio.

Hilma Balsamão de Morais com o irmão Mauro Alves Pereira Filho - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal

Por outro lado, o irmão de Hilma, Mauro Alves Pereira Filho, de 32 anos, rebateu a versão apresentada por Gustavo e disse que ela não cometeu suicídio. Ao UOL, Mauro afirmou que isso não condiz com o perfil alegre e descontraído da irmã.

Se você convivesse com ela um dia, você diria: ‘a Hilma nunca faria isso’. Eu nunca vi a Hilma chorar, nunca vi reclamar de alguma coisa. Uma pessoa que quer se matar não faz planos, ela tinha uma viagem já programada com a filha dela agora em dezembro. Ela tinha feito recentemente uma bateria de exames para fazer uma cirurgia plástica, foi aprovada e já estava com a cirurgia paga para fazer ano que vem, ou seja, ela tinha planos”, enfatizou Mauro.

Conforme relatos passados para Mauro por vizinhos e testemunhas que estiveram no local, em nenhum momento, depois da queda de Hilma, o namorado desceu da cobertura para ver o que havia acontecido. O irmão afirmou que teve que reconhecer o corpo da irmã porque ela chegou sem identificação ao IML.

Mauro revelou também que a sobrinha dele, filha de Hilma, de 16 anos, confirmou que a mãe e o namorado brigavam com frequência. O que a família espera agora é descobrir o que de fato aconteceu na cobertura e como ela morreu.

Até agora, o namorado se manteve em silêncio sobre os acontecimentos que antecederam a queda de Hilma, segundo a família dela

“Hoje é terça-feira, passaram-se pelo menos quatro dias do ocorrido. Ele [Gustavo] não entrou em contato com a família em momento algum, não compareceu ao velório. Ele poderia muito bem ter procurado a família e ter contato o que de fato aconteceu.”

O UOL não encontrou Gustavo para se pronunciar sobre o caso até a publicação desta reportagem. Caso haja retorno, o texto será atualizado.

 

 

Fonte: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/11/24/mulher-queda-varanda-cobertura-bh.htm