(Por DOUGLAS TRIELLI)
O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) afirmou que não irá aceitar pressão de aliados para indicar nomes para o segundo escalão do Alencastro, que até o momento não foi fechado.

Nos bastidores a informação é de que a “procura por emprego” na Prefeitura tem sido constante desde o início do ano. Além disso, em razão da falta de nomeações no segundo e terceiro escalões, as secretarias estariam engessadas.

Em entrevista ao MidiaNews, o peemedebista disse não ter pressa na escolha dos nomes.

“Estou sendo criterioso. Eu não vou leiloar a Prefeitura e não vou leiloar nenhum cargo. Mesmo aqueles que forem composição política, o que é natural, vai ter que ter o perfil adequado. Não estou com pressa. Tenho 10 dias úteis de gestão. Tenho que montar uma equipe que corresponda aos compromissos que fiz com a população cuiabana. E ninguém vai levar nada na pressão. Não vou rifar a Prefeitura”, disse.

Segundo o gestor municipal, as indicações têm ocorrido de maneira “respeitosa” e seguindo os critérios estabelecidos anteriormente. Entre eles, está a apresentação de ao menos três nomes e que os indicados tenham o “perfil” da Pasta.

“Vou com calma, tenho calma para discutir, para analisar o perfil de cada um. Já recebi vários nomes. Todos os partidos estão ajudando. E reconheço a compreensão dos aliados. Todos estão aguardando, entendendo e respeitando a decisão dos critérios estabelecidos pelo prefeito”, afirmou.

“Não tem pressão. Está havendo indicações normais como sempre houve. Estou há 30 anos na vida pública e sempre foi assim. E reconheço de público a educação e o respeito com que [o tema] está sendo tratado pelos aliados. Todos estão sendo compreensivos com o perfil do novo prefeito. Desde a formação do primeiro escalão, não posso reclamar”, disse.

O peemedebista afirmou, ainda, que as indicações devem começar a ser publicadas esta semana.

Sem engessamento

Emanuel ainda negou que as secretarias do Alencastro estejam “paradas”. Ele disse ter mantido parte dos comissionados visando justamente evitar a descontinuidade dos serviços.

“A Prefeitura não está parada. Eu mantive o staff do setor administrativo e financeiro para que nada parasse, pelo menos o bê-a-bá. Porque o resto está contingenciado por decreto e eu que tenho que autorizar”, afirmou.

“E, aos poucos, vou montando a equipe de acordo com o perfil e de acordo com aquilo que acho melhor para Cuiabá. Tudo dentro do programa de governo que apresentei à sociedade e dentro do compromisso que fiz com a população cuiabana”, completou.

Fonte: midianews.com.br