O presidente estadual do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, garante que o fato de o ex-governador peemedebista Silval Barbosa estar preso, acusado de corrupção, não mancha a imagem para o partido lançar candidato ao governo estadual em 2018. “Ele (Silval) cometeu os erros dele e ele vai pagar pelos erros dele, a vida do partido continua, não pesa”, sustenta o dirigente.

Para tentar comprovar que o PMDB e Silval não caminham juntos, Bezerra afirma que a vitória de Emanuel Pinheiro (PMDB) derruba a tese que, segundo ele, é instigada por adversários. “Com discurso ultrapassado e arcaico foi feito diuturnamente em Cuiabá e não pegou. O povo sabe distinguir alhos dos bugalhos, não tem nada a ver uma coisa com a outra“, lembra.

O ex-governador está preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) desde 17 de setembro do ano passado, quando foi deflagrada a Operação Sodoma 1, que investiga fraude na concessão de incentivos fiscais no Estado. Desde então, chegou a acumular mais uma ordem de prisão, e agora está preso apenas em decorrência de um desdobramento da Sodoma 2, que apura a compra do terreno de R$ 13 milhões na avenida Beira Rio, em Cuiabá, com recursos supostamente oriundos de propina.

Ao mesmo tempo em que tenta desvencilhar, Bezerra afirma que a Gestão Silval teve pontos positivos, como MT-Integrado, Prodetur e obras da Copa. “Conseguiu implementar algumas obras e outras estão paradas com recurso para acabar. Esperamos que o novo governo termine isso”, justifica.

Postulantes

Em relação aos possíveis postulantes, o cacique do PMDB explica que o presidente do TCE, conselheiro Antonio Joaquim, que já anunciou sua saída do Tribunal para voltar à política, é um dos pré-candidatos pela sigla. “Ele é um pré-candidato. Ele deseja sair do Tribunal e é um pré-candidato. O partido vai discutir isso até 2018. Vai chegar a hora. O fato é que o PMDB terá candidato em 2018.”, salienta.

O deputado federal sustenta que o conselheiro, após deixar o TCE, deve se filiar ao PMDB. “Quer militar no PMDB (Antonio Joaquim), escolheu o partido para militar. Quadro importante. PMDB está aberto para ele. E ele vai participar do processo de discussão. Mas não posso antecipar que ele é o candidato porque está cedo e esse processo vai ser grande objeto de discussão interna”, desconversa.

Bezerra pontua que as discussões para definir o nome vão se afunilar durante os encontros internos do PMDB, que se intensificarão no próximo ano. “O fato é que o PMDB terá candidato em 2018, se organiza para isso. Já tem a melhor chapa de deputado estadual de toda história do partido, nunca tivemos chapa tão forte. E vai se preparar para voltar ao governo do Estado”, garante referindo-se aos parlamentares Silvano Amaral, Janaina Riva e Romoaldo Junior.

Musculatura

Na eleição deste ano, o PMDB se consolidou como a maior força política do Estado, haja vista que 15 de seus prefeitos diplomados, incluindo o da Capital, representam municípios com praticamente 30% do eleitorado.

Ganharam as prefeituras pelo PMDB, o prefeito reeleito de Barra do Garças, Beto Farias, Fábio Junqueira, em Tangará da Serra; e Asiel Bezerra, em Alta Floresta. A prefeita eleita de Sinop, na capital do Nortão, Rosana Martinelli é do PR, mas sua vitória entra numa espécie de “cota” do PMDB por causa da influência e do peso eleitoral do prefeito peemedebista Juarez Costa.

 

Fonte:  www.rdnews.com.br