Emanuel Pinheiro diz que sofre pressão do grupo político e que a família não quer recandidatura

Emanuel Pinheiro não dá certeza de que será candidato à reeleição

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) ainda não tomou uma decisão quanto à sua participação nas eleições deste ano. Apesar disso, ele defendeu a unidade de seu arco de alianças, mesmo que não dispute a reeleição.

Para o emedebista, o grupo tem que permanecer unido e fortalecido, independentemente do nome que irá encarar a disputa majoritária.

Diante disso, ele vê com naturalidade o fato de partidos de sua base estarem estudando a possibilidade de lançarem candidaturas próprias.

Entre as legenda que já externaram a sua pretensão de encarar a eleição majoritária, caso o emedebista não dispute a reeleição estão PV, PTB e PSDB.

Entre os nomes, estariam o ex-secretário de Serviços Urbanos, Roberto Stopa (PV); o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (PTB), e o ex-vereador Paulo Borges (PSDB).

Pinheiro, por sua vez, defende uma candidatura única do grupo, mesmo se ele não for candidato.

“Um grupo do tamanho do nosso, que representa a maior força politicada Capital e que tem grandes serviços prestados na cidade e me deram condições de fazer essa administração acima da média, ele não pode deixar de debater e discutir o processo sucessório. Inclusive, na iminência de o prefeito não sair candidato à reeleição, o grupo não pode ficar ao deus dará, não pode ficar sem opção. Então, é natural que nomes comecem a surgir. A única observação que faço e tenho alertado aos companheiros e que essa discussão seja feita dentro do grupo. para que a aliança permaneça e o projeto não sofra prejuízo”, afirmou o prefeito.

Apesar disso, ele admite que vem sofrendo pressão de seus aliados para encarar a disputa, ou tomar uma decisão concreta.

“Eu não tenho me pautado pelas eleições, e tenho explicado isso aos meus aliados. O número de partidos aliados tem aumentado, mas eleição municipal não está na minha agenda”, afirmou Pinheiro.

O prefeito se disse focado na administração, tendo em vista a pandemia do novo coronavírus (Covid-9).

“Uma eventual eleição à Prefeitura ou ao Governo está nas mãos de Deus. Eu tenho dito que, neste ano, com o advento da pandemia, eu escolhi meu adversário: minha eleição é contra o coronavírus e meu adversário é a Covid”, disse.

Pinheiro afirmou que, a probabilidade é que ele não encare a reeleição em novembro deste ano, principalmente por questões familiares.

“Eu já disse que tenho problemas familiares, minha esposa não quer. Ela quer que a gente vá até 31 de dezembro, honrando todos os compromissos com a população cuiabana, porque ela quer um tempo pra família. Ela entende que essa alternância de poder é melhor, não só para a sociedade como para a família também. Então, é um problema sério”, disse.

O emedebista observou ainda que poderá sugerir o nome do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), para a disputa.

“Botelho é um grande nome e é um nome que eu traria para apresentar ao grupo. Mas, se ele seria candidato ou nã,o é uma decisão do grupo”, completou.

Hoje, o prefeito diz ter nove agremiações em seu arco de alianças.

“Assegurados, temos nove partidos, e há dois que estamos praticamente acertando e deverão anunciar apoio, se eu decidir pela reeleição, que iria levar a onze partidos”, disse.

 

 

Fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br/politica/prefeito-admite-nao-disputar-reeleicao-mas-quer-grupo-unido/536004