Valdecir Colle (PSD) diz que tem notado irregularidades há 20 dias e aguarda providências

 

(Por BRUNA BARBOSA)

O prefeito de Juscimeira, Valdecir Colle, o Chiquinho do Posto (detalhe): denúncia contra a Boate Crystal

O prefeito de Juscimeira e ex-presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Valdecir Colle, o Chiquinho do Posto (PSD), registrou uma denúncia contra a Boate Crystal, em Cuiabá, junto à Vigilância Sanitária da Capital. Nesta semana, ele afirmou que as mulheres que trabalham no local vivem em situação insalubre.

O político declarou, por exemplo, que os banheiros usados pelas funcionárias estão em “situação crítica”, que a boate funcionaria sem alvará e que há exploração de atividades sexuais no local.

Ao MidiaNews, nesta terça-feira (21), o prefeito não quis entrar em mais detalhes sobre a situação, afirmando já ter entrado em contato com a boate e que irá aguardar o resultado da vistoria da Vigilância.

“A boate se comprometeu a fazer um acordo, caso tenha alguma irregularidade. Eles, a partir da denúncia, se comprometeram a corrigir alguma irregularidade”, disse.

A boate se comprometeu a fazer um acordo, caso tenha alguma irregularidade. Eles, a partir da denúncia, se comprometeram a corrigir alguma irregularidade

O prefeito alegou que já vinha notando as irregularidades no local há cerca de 20 dias e ainda afirmou que as funcionárias estariam sofrendo assédio dentro do estabelecimento.

“Tem um cara lá que é parente do dono e quer ficar com as meninas, passa a mão nelas. Elas sofrem assédio”, disse.

Sobre a suposta ameaça que teria sofrido por parte de garçons do local no último dia 18, o político desconversou: “Já está resolvido, já pediram desculpas”.

Afirmando “não querer mais polemizar” o assunto, Valdecir alegou que irá aguardar o estabelecimento apresentar a documentação que comprova estarem atuando legalmente.

“Não quero mais polemizar. Quero resolver. As situações que eu vi não adianta mais. Agora que estourou na imprensa, as meninas não vão falar. Elas não vão falar, porque lá todo mundo tem medo de falar”, disse.

“Não quero me complicar. Estou resolvendo e a boate se comprometeu a resolver isso. […]Eles precisam estar legais e disseram que vão apresentar os documentos”, finalizou.