Os assassinos já tinham passagens criminais por roubo, estupro e latrocínio.

Os assassinos da empresária Rosimeire Soares Peri já eram conhecidos da polícia mesmo antes do bárbaro crime registrado na de quinta-feira (19), no bairro São Sebastião, em Várzea Grande.

Pedro Paulo de Arruda, de 29 anos, por exemplo, é um latrocida e faz parte da facção criminosa Comando Vermelho (CV). Ele ajudou a esconder o corpo da empresária e depois transportar e deixar na Passagem da Conceição, onde foi localizado pela Rotam.

Jefferson Rodrigues da Silva, assassino confesso de Rosimeire, relatou em depoimento na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que cometeu o crime por causa de uma dívida de R$ 1,4 mil.

Entenda o papel de cada no crime.

Empresa foi brutalmente assassinada.

Empresa foi brutalmente assassinada.

Jefferson Rodrigues da Silva, autor do assassinato

Ele revelou que comprou a máquina de sorvete da empresária por R$ 7 mil. No entanto, ainda no ano de 2020, o equipamento precisou de manutenção, serviço prestado pela vítima no valor de R$ 2,1 mil.

Desse total, o acusado ficou devendo R$ 850. Desse valor foram acrescentados mais R$ 550 em produtos adquiridos para a rotina de trabalho com a máquina, somando a dívida de R$ 1.400 devidos desde novembro passado.

No dia dos fatos, Rosimeire estava na casa do ‘cliente’ fazendo manutenção na máquina de sorvete. Enquanto trabalhava, a vítima puxou o assunto e cobrou Jefferson.

Nesse momento, o assassino atacou a empresária por trás com uma ‘gravata’ até que ela caísse inconsciente. Em seguida, Jefferson ‘amarrou’ Rosimeire com fitas adesivas e amordaçou com uma meia.

Tempo depois, a vítima acordou e o agressor teria entrado em desespero pelo que havia feito. Então, se armou com uma faca e deu três golpes no pescoço da empresária.

No depoimento, Jefferson relatou que matou a vítima por medo de ser denunciado à polícia e, consequentemente, voltar à prisão, onde já cumpriu pena por crimes de roubo e estupro.

Sem título (2).jpg

Jefferson Rodrigues da Silva, primeiro preso pelo crime.

 

Pedro Paulo de Arruda

Sem título (3).jpg

Pedro Paulo de Arruda, latrocida que faz parte da facção criminosa Comando Vermelho.

Pedro Paulo de Arruda, latrocida que faz parte da facção criminosa Comando Vermelho.

Na mesma noite, o faccionado do Comando Vermelho (CV), Pedro Paulo de Arruda, ajudou o acusado a enrolar o cadáver em um saco plástico, seguido de um cobertor e desovou em uma região de mata da Passagem da Conceição, em VG.

Pedro também foi preso, na noite de quinta-feira, com 16 kg de cal. O faccionado admitiu ter participado do crime e afirmou que iria usar o material químico para mascarar o cheiro do corpo e acelerar o processo de decomposição.

O criminoso foi detido em casa, no bairro São Mateus, em Várzea Grande.

 

 

 

 

Fonte: https://www.reportermt.com.br/policia/saiba-quem-sao-os-dois-acusados-de-torturar-e-degolar-empresaria-em-vg/131788