A secretaria Estadual de Saúde informou, esta tarde,  que a correção do banco de dados da Covid-19, que ocasionou o acréscimo de 70 óbitos acumulados no dia 12 de novembro, ainda impacta os registros que consideram os números totais ou brutos para o cálculo da média móvel de mortes.  Por esse motivo, o estado figura com um suposto aumento no número de óbitos, contudo, a alta é consequência da revisão dos casos antigos em que a morte era considerada suspeita para Covid-19. Logo, não há nenhuma relação com novas mortes.

“Quando fizemos a correção no banco de dados, houve um expressivo acréscimo no número de casos antigos ao sistema, o que impactou os dados totais. Porém, os valores corrigidos não representam um incremento no mês de novembro e, portanto, não devem ser interpretados como uma aceleração na transmissão de Covid-19 em Mato Grosso”, explica o secretário adjunto de Vigilância e Atenção à Saúde da SES e epidemiologista, Juliano Melo.

De acordo com o setor técnico, se forem considerados os óbitos por data de notificação, Mato Grosso varia entre queda e estabilidade no número de mortes pela Covid-19. O secretário adjunto ainda explica que, em comparação aos dados totais e brutos, o registro de óbitos por dia é mais preciso e eficaz, pois consegue apontar com exatidão o status de queda, estabilização ou aumento. “Os dados brutos não fazem referência a um dia específico, portanto eles podem incluir casos de outra semana, outro mês, e gerar um cenário que não é compatível com a realidade momentânea. Já as notificações por dia são mais precisas”, explicou.

Conforme os dados oficiais, os registros diários de morte pela Covid-19 variaram entre 1 e 14 casos nas últimas semanas. Esses registros podem sofrer alterações conforme as notificações feitas pelos municípios. Em meio à pandemia pela Covid-19, a Vigilância Epidemiológica Estadual enfatiza que as medidas de higienização e distanciamento social são imprescindíveis para a manutenção e melhora dos indicadores.

A equipes técnicas realizam o constante monitoramento da evolução do número de casos, óbitos e população afetada, bem como do número de leitos ocupados; esses indicadores dão a oportunidade de prever uma tendência de crescimento.

O Painel Interativo da Covid-19 aponta que há 33% de ocupação dos leitos públicos de UTI em Mato Grosso e 14% dos leitos de enfermaria. No momento, estão disponíveis 278 leitos de Terapia Intensiva e 755 leitos clínicos para o tratamento da doença pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no estado.

 

 

 

 

Fonte; https://www.sonoticias.com.br/policia/secretaria-confirma-que-casos-antigos-impactam-na-media-movel-de-mortes-em-mato-grosso/