Dessa vez, peritos analisaram as imagens gravadas por uma câmera de segurança

Um novo laudo de perícia, dessa vez com base na análise de vídeos, confirmou que a bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro dirigia a menos de 60 km/h quando atropelou três pessoas – duas delas morreram – em frente à Boate Valley, em Cuiabá, em dezembro de 2018.

A nova análise foi feita pela Gerência de Perícias de Áudio e Vídeo da Politec, a pedido do delegado Cristhian Cabral, que chegou a questionar o resultado de um primeiro exame sobre a cena do crime.

O novo laudo pericial aponta que a velocidade média do carro conduzido por Rafaela era de 57 km/h e destaca a possibilidade de uma margem de erro de 6 km/h, para mais ou para menos.

As perícias

Para a análise em vídeo foram empregados conceitos de Física e de Processamento Digital de Imagens. O cálculo da velocidade considerou a distância percorrida pelo veículo em um determinado intervalo de tempo.

O resultado foi obtido com a utilização das gravações originais do acidente feitas por uma câmera de segurança.

Já a perícia de trânsito, realizada no local no acidente, logo após a ocorrência, levou em consideração os vestígios encontrados na ocasião, como o local do atropelamento em si e a projeção das vítimas com o impacto do veículo.

Na época, o resultado apontou que o veículo estava a 54 km/h, com margem de erro de 4 km/h para mais ou para menos.

O primeiro laudo pericial evidenciou ainda que os comportamentos, tanto da bióloga, quanto das vítimas, contribuíram para o acidente.

Os dois laudos periciais foram anexados ao inquérito policial.

 

 

Fonte:  https://olivre.com.br/