O secretário de Estado de Agricultura Familiar, Suelme Evangelista (PSB), teceu duras críticas à postura do presidente do PSB em Mato Grosso, deputado federal Valtenir Pereira.

 

Para o secretário, ao aceitar o comando da sigla no Estado, Valtenir se prestou a um “jogo espúrio”, articulado pelo presidente nacional do partido, Carlos Siqueira.

 

Nos bastidores, as informações dão conta de que Siqueira deverá disputar a reeleição e um dos possíveis adversários seria o vice-governador de São Paulo, Marcio França. Este teria sido um dos motivos para que o deputado federal Fabio Garcia fosse destituído do comando do PSB em Mato Grosso, já que ele e seu grupo são mais próximos a França.

 

“Acredito que o interesse na sucessão da presidência nacional do PSB é que está em jogo agora. O Valtenir se prestou a um jogo absolutamente espúrio, que eu não me prestaria jamais. Se prestou jogo da direção nacional”, disse Suelme.

 

Me parece que ele está em um processo de desconstrução profunda, quase fim de linha, fim de carreira política

“Quer dizer, um líder, um deputado federal jamais poderia se prestar a um jogo tão mesquinho, tão medíocre como esse. Ele deveria ter uma grandeza de enxergar seu lugar, seu status, pensar na repercussão disso sobre sua imagem política. Mas me parece que ele está em um processo de desconstrução profunda, quase fim de linha, fim de carreira política”, criticou o secretário.

 

Sem poupar adjetivos, Suelme ainda classificou como uma atitude “destrambelhada” e “desesperada” a volta de Valtenir para o PSB.

 

“Vejo uma esquizofrenia política incompreensível. Você tentar enxergar do ponto de vista pragmático, da coerência, do posicionamento político, é impossível ler esse repertório, interpretar essa partitura chamada Valtenir”, disse.

 

Problemas

 

O secretário afirmou ainda que, ao que tudo indica, o fato de ter aceitado a presidência do PSB em Mato Grosso trará problemas ao deputado, especialmente quanto a sua postura em relação ao Governo do presidente Michel Temer (PMDB).

 

Valtenir não só é aliado do presidente, como possui indicados ocupando cargos na estrutura federal.

 

Por outro lado, o PSB adotou uma postura de oposição ao presidente Temer.

 

“Agora ele está em maus lençóis. Vai ter que votar contra reforma trabalhista, quero ver como ele vai se virar lá agora. Vai ter que votar contra a reforma da previdência, pra ser coerente com o PSB”, concluiu o secretário.

Fonte:http://www.midianews.com.br