Estudo preliminar da universidade indica que imunizante não só previne a doença como é capaz de frear ritmo da pandemia

Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Segundo estudo preliminar divulgado nesta quarta-feira (3), a vacina de Oxford, desenvolvida pelo laboratório sueco-britânico AstraZeneca, tem a capacidade de diminuir em 67% a transmissão do novo coronavírus entre seres humanos. A pesquisa foi feita por cientistas da própria Universidade de Oxford.

Este é o primeiro imunizante que comprova ser capaz de reduzir a transmissão do vírus que causa a covid-19. Os resultados, no entanto, ainda não foram submetidos à revisão por pares, mas são animadores, aponta o jornal The New York Times, que publicou o estudo nesta quarta (3), que reforça a necessidade da vacinação em massa.

Portanto, além de ser eficaz contra os graves sintomas e demais consequências da doença, a aplicação da vacina de Oxford também evita que mais pessoas sejam contaminadas pelo vírus e, assim, capaz de frear o ritmo da pandemia pelo mundo.

Os mesmos dados ainda indicaram que a vacina tem eficácia de 76% com a primeira dose e 82,4% com as duas doses completas. O intervalo entre as doses foi de três meses.

A vacina de Oxford é uma das mais usadas pelo Brasil no programa de imunização contra a covid-19 e será produzida em território nacional pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos (Fiocruz). O Ministério da Saúde adotou o esquema de 3 meses.

 

 

 

 

 

FONTE: https://primeirahora.com.br/vacina-de-oxford-reduz-transmissao-em-67-apos-uma-dose-diz-estudo/