Gilson de Oliveira Campos, de 68 anos, havia subido no telhado para consertar telhas. Corpo foi encontrado neste sábado, mas perícia acredita que ele tenha morrido há mais de 2 dias.

Vizinhos sentiram mau cheiro e polícia achou corpo de idoso que morreu eletrocutado em telhado em Santo Antônio de Leverger — Foto: Polícia Civil de Santo Antônio de Leverger

Vizinhos sentiram mau cheiro e polícia achou corpo de idoso que morreu eletrocutado em telhado em Santo Antônio de Leverger — Foto: Polícia Civil de Santo Antônio de Leverger

Um idoso de 68 anos morreu eletrocutado ao subir no telhado para consertar a telha da residência dele em Santo Antônio do Leverger, a 35 km de Cuiabá. O corpo de Gilson de Oliveira Campos foi encontrado neste sábado (16). A suspeita é de que ele tenha morrido há dois ou três dias.

De acordo com a Polícia Civil, os vizinhos sentiram mau cheiro e procuraram a delegacia. Os policiais foram até a casa da vítima, na Rua 15 de novembro, centro de Santo Antônio de Leverger.

Os investigadores não encontraram nada suspeito dentro da residência, porém, também sentiram o mau cheiro persistente.

Segundo a Polícia Civil, o corpo foi encontrado debruçado no telhado da casa. Algumas ferramentas estavam perto da vítima, que possivelmente havia subido no local para arrumar as telhas.

Vizinhos sentiram mau cheiro e polícia achou corpo de idoso que morreu eletrocutado em telhado em Santo Antônio de Leverger — Foto: Polícia Civil de Santo Antônio de Leverger

Vizinhos sentiram mau cheiro e polícia achou corpo de idoso que morreu eletrocutado em telhado em Santo Antônio de Leverger — Foto: Polícia Civil de Santo Antônio de Leverger

 

O Corpo de Bombeiros retirou o corpo e a Perícia Oficial e Identificação técnica (Politec) foi chamada. Os peritos encontraram indícios de que a calha da casa estava conduzindo energia. Gilson, sem perceber, teria encostado na calha e foi eletrocutado.

Um vizinho havia visto a vítima na última quinta-feira (14). Ele tinha costume de arrumar o telhado, inclusive havia consertado o telhado da vizinha recentemente.

Gilson morava sozinho, não tinha filhos e nem era casado. A irmã dele mora no Paraná e foi comunicada da morte. O corpo deve ser transladado para o Paraná, onde ele nasceu.

Fonte: https://g1.globo.com/