Para Emanuel, alguma atitude deve ser tomada, uma vez que se trata da saúde coletiva

Profissionais da Educação que rejeitaram a vacina poderão ser afastados

Foto: Prefeitura de Cuiabá

 

Profissionais da educação que recusaram a imunização contra a covid-19 poderão ser afastados da administração municipal de Cuiabá. A informação é do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que solicitou à Secretaria de Educação providências para punir servidores que não querem se vacinar, e ainda evitar que eles entrem em convívio com os alunos e demais profissionais da área.

Para ele, alguma atitude deve ser tomada, uma vez que se trata da saúde coletiva. “Então, eu pedi para a Secretaria que estudasse uma proposta, porque nós não podemos obrigar a vacinar, mas no momento que vai para sala de aula, temos a questão da saúde coletiva. Então, a gente não pode deixar colocar em risco a saúde de outros, principalmente de crianças e de seus colegas”, enfatizou o chefe do Executivo Municipal.

De acordo com o emedebista, de um total de sete mil profissionais, apenas 48 estão relutantes em tomar a vacina. A decisão quanto à punição será tomada em reunião a ser realizada na quarta-feira (8).

“Me parece que uma das alternativas, nós vamos reunir na quarta-feira par decidir, seria a licença sem ônus desses 48 profissionais da educação”, revelou.

Apesar de afirmar que respeita a decisão desses servidores, Emanuel classifica a postura como “absurdo”.

“A gente tem que respeitar a decisão, apesar de eu pessoalmente achar um absurdo, eu não entendo que a pessoa rejeite a vacina. Está comprovado que essa é a única forma de vencermos essa guerra travada conta a covid-19. Mas a gente tem que respeitar, mas tem a questão que vivemos em sociedade, a saúde pública, saúde coletiva, então estamos a melhor medida dentro da lei e dentro da justiça”, finalizou.

 

 

FONTE: https://www.leiagora.com.br/noticia/106098/profissionais-da-educacao-que-rejeitaram-a-vacina-poderao-ser-afastados